Saudações tricolores!

O título da coluna de hoje é auto-explicativo. E não tem como qualquer são-paulino negar isso. A situação do SPFC na Libertadores está ruim…Muito ruim! 
Nesta semana o SPFC perdeu para o Arsenal, na Argentina. Agora, se quiser se classificar tem que vencer o The Strongest na casa do adversário, na altitude. 
Quem lê as minhas colunas já acompanha a minha linha de raciocínio sobre este assunto faz tempo…Mas se é a primeira vez que você lê um texto meu, aí vai um pequeno resumo de algumas razões pelas quais o tricolor se encontra na posição atual: 
– O time de 2012 era bom? Era, mas não era sensacional, fantástico, longe disso. Aquele time tinha motivação e uma peça fundamental, Lucas. O cara dava o ritmo no ataque, era capaz de lances inacreditáveis… Lucas foi para o PSV. E qual foi a contratação? Nenhuma. Sim, nenhuma. Ganso foi contratado e não joga em posição similar a Lucas. Osvaldo já estava no time, joga em posição semelhante, mas embora esteja em uma boa fase e se esforçando, ainda não chega perto do que Lucas fazia no time. 
– Ganso foi uma incógnita. Do começo ao fim. Jogador chegou lesionado. Por chegar lesionado, demorou pra entrar no time e até agora não se entrosou totalmente. Se ele entra, Jadson sai. Se joga junto, não joga bem porque ainda não se entrosou. Entrosamento é importante, lógico. Mas jogador também se impõe em campo, coisa que ele não tem feito. Pode ser que ele ainda esteja com receio de se machucar sério novamente. Mas tirando alguns lances, não vimos o brilho de Ganso de outros tempos. 
– Não temos um reserva pra Luís Fabiano. O centro-avante faz muita falta quando não está em campo. Mas continua sendo expulso pelo comportamento. E aí quem entra? Pois é… E expulsões como a última de Luís Fabiano não tem nem argumentação. 
– A zaga continua mal… Ney Franco insiste em um esquema que nitidamente não funciona. Lúcio e Tolói ainda não se entendem… E o time continua tomando gols. 
– A impressão que dá é que o preparo físico continua sendo um problema. O time cai no segundo tempo. Corre menos do que deveria. E aí nos lembramos de como a administração esportiva do SPFC mudou nos últimos tempos…Saíram Carlinhos Neves e Turíbio… E o torcedor mais atento vai notar que mudou, não necessariamente para melhor. 
E agora? Agora o SPFC tem uma única alternativa: vencer o The Strongest pra começar. Se empatar ou perder, acabou a Libertadores. E é triste observarmos que a falta de planejamento e a insistência em alguns conceitos errados podem levar o time a uma eliminação que nenhum torcedor esperava, já na primeira fase. 
A nós, são-paulinos, resta torcer. Já ganhamos um Brasileirão com 1% de chance, mas não tem como pensar que a fase está complicada. E que o time não é tudo aquilo que pensávamos que podia ser, infelizmente. E se nada mudar, poderemos ter um primeiro semestre bem difícil. A nós, só resta torcer. 
Thaís Cachuté Paradella.