Saudações tricolores!

Hoje o SPFC enfrenta o Santos pelo Campeonato Paulista. Iremos ver Ganso em campo, como titular. Do outro lado, Neymar. É uma boa chance para Ganso mostrar que pode ser o líder em campo que a torcida espera. Claro que é começo de ano, o jogador ainda não está no auge de sua forma física, mas a torcida tem esperanças que isso possa acontecer o mais rápido possível. 
A grande dúvida será como o time estará montado: com Ganso no meio-campo, Jadson pode ser escalado, mas o time terá menos poder de marcação, o que faz com que Wellington seja peça-chave em fechar o meio-campo à rápida movimentação santista. 
Infelizmente, parece que as contratações pararam por aí. O capitão Rogério Ceni já tinha alertado que precisávamos de algumas contratações, para suprir a saída de Lucas. Cañete jogou bem no último jogo (foi uma grata surpresa), mas o torcedor está um pouco inseguro, mediante a virada que o tricolor sofreu na última quarta-feira. 
Em relação a este jogo, penso da seguinte forma: entendo que Rogério Ceni tenha ficado bravo com o resultado, mas também acho que expor isso à imprensa não é uma boa. O time precisa se blindar. E Rogério também precisa aprender a não criticar o time via imprensa, por mais bravo e com razão que esteja. Segundo, o time estava com 8×0 no placar. Abriu 3×0 na casa do adversário. É hora de segurar. Saber armar uma retranca e não deixar o outro time mandar no jogo. Óbvio que o Bolívar jogou bem na segunda etapa, mas é necessário reconhecer que tivemos muitas fases defensivas. Que isto nos sirva de lição. O planejamento após o 3×0 foi errado. Ney Franco errou aí. E deixou aquela sensação de ‘será que isso pode acontecer de novo?’ Poder, pode. Mas esperamos que não. Tomar viradas de placar é sempre ruim. 
Hoje já será um bom teste de o que podemos esperar deste time em termos de clássicos e quando enfrentarmos times brasileiros. 
Thaís Cachuté Paradella.