Por Camis Carvalho – @camisspfc

O Tricolor enfrentou ontem o Santos, na Vila Belmiro, pelo campeonato paulista. O time do litoral venceu o duelo por 3×1, em uma partida que “deu o que falar”. De um lado, os erros de arbitragem que favoreceram o alvinegro, mais precisamente o gol legal de Luis Fabiano, erroneamente anulado pela bandeira Tatiane Sacilotti; de outro lado, a nada calorosa recepção da torcida santista a Paulo Henrique Ganso, em seu primeiro reencontro com o time da baixada.
 
Nem entrarei no mérito do despreparo da Vila Belmiro para receber uma partida importante. É lamentável que haja um estádio tão abaixo da crítica em um país que sediará a Copa do Mundo. A chuva de moedas, que irritou até Luis Fabiano, ilustra bem do que estou falando. Mas isso não vem ao caso.
 
Hoje relembrarei alguns dos jogadores que fizeram o caminho inverso na história mais recente: defenderam o São Paulo e, posteriormente, vestiram a camisa do Santos.
 
Seguindo a ordem cronológica, começarei pelo ídolo Careca, que defendeu o Tricolor de 1983 a 1987, conquistando 3 títulos. Já no time do litoral, Careca disputou apenas 9 partidas, em 1997. Já Muller, atuou pelo São Paulo entre 194 e 1987, conquistando 13 títulos. Muller jogou no Santos entre 1997 e 1998, sem conquistar nenhum título. O atual comentarista esportivo Caio Ribeiro, revelado pelas categorias de base do São Paulo, vestiu a camisa do Tricolor entre 1993 e 1995, conquistando apenas uma Supercopa da Libertadores. Pelo Santos, Caio conquistou um Torneio Rio-São Paulo, em sua passagem de 1997 a 2000. Luizão, que defendeu os 4 grandes de São Paulo, além dos rivais cariocas Botafogo, Vasco e Flamengo, vestiu o manto tricolor em 2005, quando conquistou um Campeonato Paulista e uma Libertadores. Pelo Santos, Luizão jogou apenas 5 partidas, não marcando gol algum. O zagueiro Fabão, que defendeu o Soberano entre 2004 e 2006, conquistando 4 títulos, jogou pelo Santos em 2008 e 2009, sem levantar nenhuma taça.
 
Entretanto, deixei pro fim o jogador que conseguiu ser ídolo nos dois times: Serginho Chulapa. O atacante fez história no Tricolor durante seu longo período no clube: entre 1973 e 1982, jogou um total de 401 partidas e marcou 243, tornando-se o maior artilheiro do clube até hoje. Nesse período, conquistou o Campeonato Paulista de 1975, 1980 e 1981 e o Campeonato Brasileiro de 1977.
 
Sua história no Santos também foi marcante: defendeu o clube entre 1983 e 1985, retornando em 1988 onde ficou até 1990. Ao todo, marcou 104 gols com a camisa do Santos e, junto do ponta-esquerda João Paulo e do atacante Neymar, é um dos dois maiores goleadores da equipe após a Era Pelé.
 
E vocês, leitores, gostariam de destacar mais algum jogador que vestiu as duas camisas? O que acharam da recepção dos torcedores do time litorâneo ao Ganso? Deixem seus comentários!
Avante, Tricolor!