Por  Mayra Soares – @soaresmayra

Mais um ano se encerra no mundo do futebol e as coisas parecem terem voltado ao normal para o Maior do Mundo.

O 6-3-3, tornou-se 6-3-3-1.

A conquista de mais um título era o que o torcedor precisava pra gritar “O Campeão voltou!”, mesmo sabendo que ele nunca fora embora. Sempre esteve ali, lutando, errando, tropeçando, mas buscando um caminho que ele mesmo conhece bem.

Luis Pires VIPCOMM

CAMPEÃO!

E a festa tem três cores. NUNCA deixamos de ser campeões, conquistamos mais um título internacional. Isso mesmo, mais um, em meio a tantos outros. Há quem diga que a Sul Americana é a “série B” da Libertadores. E o que era a Libertadores antes do São Paulo? Um título nada almejado por times brasileiros. 

O Santos de Pelé ganhou a primeira. Mas quem se importou? A Libertadores da América ganhou visibilidade graças ao Tricolor! Com a Sul Americana não será diferente! 

São Paulo é dono da admiração, e principalmente do RESPEITO, de quem quer que seja.

Fora do Brasil não tem time brasileiro mais respeitado do que o nosso!

“Dentre os grandes és o primeiro” Sempre será o primeiro, o que abre as portas para as grandes conquistas para que os outros almejem também!

A felicidade não cabe no peito, a paixão por esse clube é inexplicável!

Torcer para o São Paulo sempre foi fácil, sempre foi prazeroso! 

O Tricolor é grande e ser grande não é ser rico! 

Ser rico é ter estádio, ser grande é encher esse estádio.

Ser rico é trazer um ídolo, ser grande é cria-lo.

Criamos Rogério Ceni, o maior ídolo do SPFC. Amado pela nação são-paulina, odiado, na mesma proporção, pelos rivais. Grande nas suas palavras, maior ainda nas atitudes, nos recordes!

Eleito o maior brasileiro da Copa Libertadores.

Criamos Lucas, tão jovem e ÍDOLO! 

Queria erguer a taça e ergueu. 

O disseram Corinthians, ele respondeu: SÃO PAULO!

O disseram Marcelinho, ele se apresentou como LUCAS.

A torcida grita teu nome, a torcida agradece seu futebol, sua camisa suada, seu esforço, sua luta, sua humildade.

Luis Pires VIPCOMM

Assim como Rogério, Lucas honrou a camisa que fez tua estrela brilhar.

Eu peço licença à você, leitor, para compará-los.

A atitude de Rogério de entregar a taça para o Lucas erguer, de colocar em seu braço a braçadeira de capitão, me fez pensar que Rogério Ceni, enxerga em Lucas a mesma paixão, o mesmo amor que ele próprio nutre pelo São Paulo.

Wagner Carmo VIPCOMM

“Quando ele me deu a faixa foi um momento único na minha vida. Difícil eu ser capitão novamente. Isso que ele fez, eu vou guardar para o resto da vida. Meu amigo, meu ídolo e meu professor. Vai ficar para sempre no meu coração”, disse Lucas. 

Um ato de humildade de quem já ganhou tudo, para aquele que a tudo vai conquistar! Rogério Ceni não é ídolo por acaso. E Lucas também não.

Lucas é nosso, mesmo longe daqui.

Wander Roberto VIPCOMM

Assim como Rogério sempre foi.

O ano que vem começamos sem Lucas, e com Rogério no seu último ano de contrato.

Estamos de volta na competição que aprendemos a amar há 20 anos atrás.

Ficamos no G4 no campeonato brasileiro.

E buscamos mais, cada vez mais, sempre!

E para aquele que torceu contra, para aquele que não acreditou, para aquele que duvidou: O CHORO É LIVRE! O CAMPEÃO VOLTOU!

Luis Pires VIPCOMM

“Vamo, São Paulo! Eu vou com você…”