Seria em um dia ensolarado. Me preparei  semanas antes para o grande dia, afinal, seria minha primeira vez, aquela que a gente nunca mais esquece mesmo sabendo que muitas outras oportunidades viriam depois e que poderia ser bom ou ruim. Mas o dia não seria especial apenas por isso. Não seria especial apenas pra mim. Foi  com certeza inesquecível também para milhares de outros apaixonados como eu, que veriam com os próprios olhos – mais uma vez ou também pela primeira – o grande amor de suas vidas. 

Era 7 de setembro. Um feriado que seria diferente de todos os outros e não por causa da pátria. Seria diferente por causa do meu amor que estaria finalmente em frente aos meus olhos.
Minha primeira vez foi na minha casa, casa de muitas glórias mundialmente conhecidas. Acordei cedo, estava ansiosa demais. Era difícil conter tamanha alegria e expectativa. Seria a primeira vez que eu o veria, sem a interferência de uma tela de vidro. Vesti minha melhor roupa, aquela que me identifica como apaixonada por aquele que por tanto tempo ansiei ver. 
Fui então pra minha casa. Maravilhada com a fachada, nos meus lábios eram só sorrisos. Entrei. Não contive as lágrimas quando avistei o que posso chamar de leito de amor. Era vasto demais, muito mais do que eu imaginava. Era ali que eu o veria. Naquele momento esqueci completamente de tudo o que me diziam de ruim sobre a primeira vez, e tive a certeza que seria maravilhosa. 
Ao lado de mais de 60 mil apaixonados, minha primeira vez não poderia ter sido melhor. Um dos ícones anfitriões que teve sua primeira vez há mais de 20 anos, cravava (mais) um recorde histórico como prova de amor. Todos os presentes saíram em êxtase. Vencemos.
Hoje, 7 de novembro, sinto quase a mesma sensação deste dia. Será minha primeira vez também, só que longe de casa. Hoje será na casa de aluguel, mas um lugar que meu amor já alcançou feitos inesquecíveis também. Verei o meu amor, mais uma vez, como se fosse a primeira. Com o mesmo brilho nos olhos, o mesmo calor na alma. Só por vê-lo.

“É um sentimento que não tem explicação. O que eu sinto vem da alma, do fundo do coração” 

E vocês? Quando e como foi a primeira vez vendo o Maior do Mundo? Contem aí nos comentários!