Saudações tricolores! 
O SPFC está a um ponto do Vasco, ou seja, basta o time do RJ empatar e o SPFC vencer o Figueirense que entramos no G4. -TI
O tricolor vem de uma partida praticamente perfeita contra o próprio Vasco no RJ… Jogo em que Rogério Ceni mandou todos os críticos calarem a boca com uma partida impecável! Tanto que até Juninho, grande estrela vascaína, ficou bravo como capitão tricolor, de tanto que ele fechou o gol. 
Engraçado que críticos (sobretudo no Twitter), alguns bem famosinhos, que adoram criticar o SPFC, sequer escreveram uma única linha sobre a apresentação soberana do tricolor…Imprensa tendenciosa é pouco! Mas, nós são-paulinos já devíamos estar acostumados com isso, uma vez que até aqueles que se dizem ‘imparciais’ não conseguem esconder a dor de cotovelo quando o tricolor mostra que está no páreo. 
Mas o tema da coluna de hoje é outro: o quarteto fantástico, formado por Lucas, Luís Fabiano, Jadson e Osvaldo. Quando estes quatro jogam, o SPFC vira um time literalmente FAN-TÁS-TI-CO. O duro é que nem sempre os quatro podem jogar: seja por lesões ou seleção brasileira atrapalhando, em muitos jogos o quarteto foi trio ou até dupla e aí o rendimento não é o mesmo. O tema ‘Quarteto Fantástico’ já foi abordado por Isabelle Guerini aqui mesmo no SPFC1935, em 23/09, mas o quarteto da Isa era formado por Lucas, Luís Fabiano, Ganso e Jadson. O meu é formado por Lucas, Luís Fabiano, Jadson e Osvaldo, que está sendo um destaque ultimamente. 
Só para o leitor saber, Jadson é um dos jogadores que mais faz assistências no Brasileirão. Luís Fabiano, mesmo não jogando todas as partidas, disputa gol a gol a artilharia do Campeonato Brasileiro, junto com Fred. Osvaldo tem feito partidas muito boas (como contra o Vasco), muitas vezes até conseguindo substituir Lucas (embora isso não seja fácil). 
Acredito que o grande desafio do SPFC agora nesta reta final seja como lidar com alguma ausência do quarteto. O time cresceu nestes últimos jogos, não há dúvida disso. As apresentações contra Palmeiras e Vasco realmente empolgaram, mostraram que o time poderia estar até melhor na tabela, mas que mesmo assim, ainda há chance de conquistarmos uma vaga no G4. Esta vaga da Libertadores pode vir também pela SulAmericana. Se o time engatar uma primeira, podemos chegar à final da SulAmericana e garantir a Libertadores por lá. Mas no Brasileirão, basta seguirmos nesta toada, pois o Vasco já mostrou que é um time com limitações e está em uma descendente, enquanto que o tricolor vem crescendo jogo a jogo. 
Hoje é o Figueirense, jogo no Morumbi, jogo pra conquistar 3 pontos. Simples assim. O Vasco joga fora, teoricamente tem um jogo mais difícil. Hoje já podemos entrar no G4. Mas se caso isso não acontecer, basta seguirmos no caminho das vitórias. Certamente este um pontinho de diferença será tirado. E aí, se entrarmos no G4, é repetir o que André Dias disse em 2008: ‘Deixaram a gente chegar’. Agora, não vamos mais sair. 
Thaís Cachuté Paradella.