Todos nós conhecemos s história do “Patinho feio”. Aquela na qual o patinho mais feio da família é rejeitado por todos e no fim acaba virando um lindo cisne e surpreende a todos, inclusive a si mesmo.

Essa história muito se parece com a de Paulo Miranda no São Paulo. Chegou no inicio da temporada como uma das promessas do Juvenal para o Tricolor e o que se viu foi o contrário. Ainda na era Leão foi vítima de confusão entre técnico e diretoria e foi retirado da concentração prestes a jogar contra a Ponte Preta pela Copa do Brasil. Tornou-se o maior desafeto da torcida. Seus erros eram constantes, sua falta de técnica e os cartões amarelos irritavam o torcedor, não convencia dentro de campo. Cada vez que era escalado choviam críticas.

Foto: Dorival Rosa/VIPCOMM

Hoje, na era Ney Franco, Paulo Miranda é um dos destaques do Tricolor e responsável pela grande melhora da zaga. Tendo uma sequência como titular e jogando pela lateral, se destacou e hoje o São Paulo tem números grandiosos, é a melhor defesa do segundo turno com apenas cinco gols sofridos em dez jogos, e Paulo Miranda é um dos responsáveis por essa mudança significativa. Com ele a zaga conquistou segurança e passou para o resto do time. Esse ajuste fez com que o São Paulo reagisse e hoje ocupe a quarta colocação do campeonato, com chances de chegar mais longe e ainda incomodar muitos adversários.

Paulo Miranda passou de “patinho odiado” a “patinho exaltado”. Digamos que hoje é um dos cisnes do Tricolor. Surpreendeu a si e a torcida. É um dos destaques do São Paulo e um dos responsáveis por essa virada no desempenho pelo Brasileirão.

Que continue assim até o final da temporada. Que nosso São Paulo consiga a classificação para a Libertadores de 2013 e, assim, garante mais um ano de Rogério Ceni no Tricolor. Com muitas surpresas e muitas alegrias.