Saudações tricolores!
Hoje o SPFC enfrenta o Flamengo no RJ, desejando aumentar mais ainda a diferença de pontos para o Vasco (5 pontos atuais) e colar de vez no Grêmio. Quem disse que precisamos ficar com a 4a. vaga da Libertadores? Por que não a terceira?? O SPFC está em alta, em ótima fase, acho mais do que justo ir atrás desta 3a. vaga! 
Mas aí, eis é que surge ele, aquele que atrapalha muitos clubes na reta final do Brasileirão. Aquele que se mete em lances, vê coisas que o juiz viu e optou por não punir em jogo, muda escalações já que pune atletas fundamentais para seus respectivos time e atrapalha todo o planejamento… Amigos, vos apresento o STJD. 
O Superior Tribunal de Justiça Desportiva vem ganhando muito destaque nos últimos anos…Infelizmente, destaque negativo. Bastou chegar na reta final do Campeonato Brasileiro, o STJD escolhe suas vítimas a dedo e pune atletas em lances bobos, com suspensões gigantescas, tirando de seus times o equilíbrio já estabelecido em outras rodadas. 
Vamos relembrar o passado: em 2009 Palmeiras, São Paulo, Flamengo e Goiás disputavam, ponto a ponto o Campeonato. Eis que o STJD entrou em ação: julgou Diego Souza, do Palmeiras e o tirou de jogos importantes, prejudicando o time alvi-verde. No mesmo campeonato, Jean e Daboberto receberam penas gigantescas, absurdas…E também desfalcaram o tricolor. 
E quem não se lembra da famosa declaração sobre as trancinhas de Wagner Love, que poderiam ser de outra cor…Relembre o caso: http://www.youtube.com/watch?v=K9lwm-usqAM&noredirect=1
Neste ano, não tem como não citar o caso de Ronaldinho Gaúcho, punido por uma falta que o juiz nem achou que foi…Punido por quem? STJD.
E agora, Luís Fabiano pode ser punido, na reta final do campeonato, por simular um penalty no jogo contra o Palmeiras. Ou seja, podemos ter o time desfalcado do principal atacante, que disputa a artilharia com Fred do Fluminense, gol a gol, na reta final. 
Artilheiro pode acabar desfalcando o clube caso seja condenado. Foto: Bruno Santos/Terra
E aí vem a pergunta: o que me parece é que o STJD quer aparecer muito mais do que devia. E nos dá a leve impressão de nos favorecer alguns times, sobretudo times cariocas. Óbvio que são só suposições, mas um campeonato que o STJD interfere claramente nas escalações das equipes, tirando jogadores na reta final, por lances não tão capitais assim, me deixa lamentando. 
E não sou só eu que penso assim. Não sou jornalista de formação (como sabem, sou dentista), mas sempre leio blogs de jornalistas que admiro. Nem sempre concordo 100% com a posição deles, mas um jornalista que gosto de ler é Mauro Cezar Pereira, da ESPN. Veja o que Mauro escreveu sobre a punição de Ronaldinho Gaúcho em 10/10/2012: 
” É evidente que o STJD está interferindo demais, além da conta, nos jogos, especialmente na reta final, como já é comum. Tais punições são absurdas, os advogados estão “apitando” os jogos novamente.

Se o árbitro não puniu os jogadores, papo encerrado. Mas se for algo grave, como uma agressão sem bola que a arbitragem não percebe, mas uma câmera consegue captar, o STJD deve agir.”
É exatamente assim que eu penso. Punições absurdas em lances idiotas, como faltas simples que foram apitadas e devidamente punidas pelo árbitro, ou faltas que o árbitro viu e optou por não marcar, ou simulações, ora…Onde fica o papel do árbitro então?? Serve pra que, se os lances que ele viu e marcou (ou não marcou), o STJD vai mudar o resultado depois? 
Absurdo! E o SPFC agora pode ficar sem o seu principal atacante na reta final da competição! 
‘Ah, mas ele simulou…’ Ora bolas, simulação faz parte do futebol. Cabe a arbitragem punir e se estabelecer em campo. Isso vale para o lance do Luís Fabiano, dos cai-cais da vida…Enfim, cabe ao jogador aprender quer se simular, o juiz não vai marcar nada. Aí ele para de simular. O STJD não tem que dar um de ‘tribunal da moralização’, punindo atletas por lances assim. Isso é um absurdo e pensaria igual se fosse em relação a qualquer time. Não é função do STJD interferir assim. 
Fico imaginando se o STJD pudesse interferir em Copa do Mundo. Se existisse um super STJD, capaz de interferir em resultados internacionais em Copa do Mundo. Certamente, aquele penalty marcado para a Alemanha, na final da Copa de 1990 (simulação total), não seria marcado. E foi. E aí, STJD? Não funciona assim. O jogo acaba, fim de papo. Se houve um lance de agressão não visto, aí sim cabe punição. De resto, não. Cabe sim, melhorar a arbitragem (que está pífia ultimamente, chata, barrando o jogo toda hora, mas isso é matéria pra outra coluna…), agora interferir do jeito que o STJD vem interferindo nos últimos anos, é algo que não pode ser aceito! 
Vamos torcer que Ney Franco consiga montar o time, mesmo quando desfalcado pelo STJD. 
Thaís Cachuté Paradella 
Crédito da Foto: Bruno Santos/Terra.