Por Raiza Oliveira – @ra_iza

É tricolores… ainda estou extasiada com o belo clássico que protagonizamos em cima dos porcos em nossa casa no último sábado. Mantivemos o tal tabu que a imprensa (e nós também, sejamos francos) adora repetir, de 10 anos sem derrota no Morumbi. Afundamos os verdinhos ainda mais, vimos uma festa linda nas arquibancadas com mais um bom público de 34.941 pagantes… mas algo também tem entrado em contradição com estes pontos positivos citados, pra mim. Nós mesmos, torcedores comuns, e nossa presença no estádio.
Público de SPFC x SEP do último sábado. Foto: Arquivo Pessoal – Jaque Amaral

Em julho, lotamos o estádio no jogo contra o Flamengo, em que passeamos em campo…mas era o retorno do Rogério. 35.049 pessoas presentes. No dia 26 de setembro, lotamos o Morumbi pro jogo contra o Cruzeiro com mais de 40 mil pessoas. Mas vamos combinar: não foi pra ver o Ganso sendo apresentado? De qualquer forma, o maior púbico do campeonato Brasileiro é nosso até hoje com essa data. Reta final da Copa do Brasil, a mesma coisa. Mas creio que estamos liderando esse quesito de forma enganosa e não é de hoje. Pra se ter uma ideia, o São Paulo tinha um número espantoso de média de público no dia 21/09, antes do Ganso chegar. O Tricolor ocupava a sexta posição no ranking da média de público no campeonato com nada mais nada menos que 16.063 de média, abaixo de Sport e Bahia. 

Jogo contra o Cruzeiro ou apresentação do Ganso? Foto: Site Oficial

Na análise, foi considerada também a ocupação do estádio, e nesse caso, o São Paulo era o 17º no ranking com 22% de ocupação. Até o Palmeiras tinha mais mais: 32%. Hoje subimos no ranking por causa dos bons públicos isolados: terceiro lugar com 19.154 de média, mas na ocupação do estádio, nada muito diferente: 26% e 16ª posição no ranking. E nesse campeonato NUNCA ficamos abaixo da sétima posição (me corrijam se estiver errada). Ou seja: mesmo buscando a vaga no G4, em boas posições na tabela (fora da degola e linha intermediária), não lotamos o maior estádio particular do País quando pudemos e devíamos. E por quê?

Já nos consolidamos como a terceira maior torcida do Brasil e a que mais cresce a cada ano, mesmo sendo o São Paulo um time jovem em comparação aos demais. Vão me dizer que os “lapsos” diversos do Juvenal e diretoria nos afastaram dos jogos? Será isso uma justificativa? Não estar junto do time virou protesto desde quando? Vão me dizer também que foi por isso que trouxeram o Ganso? É por ELE ou por qualquer outro que vamos encher o estádio? Por um jogador? Somos tão pequenos, como torcedores, assim?
Percebam que eu estou usando a primeira pessoa do plural sempre, pois me incluo nessa, mesmo tendo motivos distintos a alguns desses pra não ir ao estádio todo jogo. Mas penso: se nesses jogos que exemplifiquei, lotamos, fizemos uma linda festa e comparecemos, por que não os “mais simplórios”? Por que existir essa “hierarquia”?

Morumbi vazio em 2008. Sim, em dia de jogo. Foto: Blog Daniel Perrone

Também sei e acho válido lembrar: no Brasil, o torcedor é acomodado. De todos os times. Independente de citarmos uma torcida ou outra que vai aos jogos, não cabe comparação com as torcidas dos times do Uruguai e Argentina, por exemplo. Estamos anos luz atrás no quesito torcer desses países. Trocando umas ideias sobre isso com amigos, muitos falaram que o torcedor brasileiro não tem muita noção do poder que a arquibancada tem e que a diretoria também precisa incentivar a ida do torcedor ao estádio com estratégias e facilidades. Pedimos brio aos jogadores, mas não o motivamos a tê-lo. 

Comparem a primeira foto da coluna com a última. Dá pra reverter isso ou essa é simplesmente a ‘tradição’ da nossa torcida?
(Para ver o levantamento atualizado rodada a rodada do GE.com, clique aqui)
Espero ter deixado ao menos uma reflexão a todos nós, torcida do Maior time do Mundo.

#VAILÁDECORAÇÃO