Por Raiza Oliveira – @ra_iza

No próximo sábado, enfrentamos o Palmeiras no Morumbi. A situação é essa: o São Paulo perseguindo o G4 pra garantir vaga na Libertadores pelo Brasileirão – algo que a porcada já tem, mesmo que venham a cair – e eles morrendo de vontade de conquistar um Bi-B, mas motivados por três vitórias em três jogos no comando do Padre Kleina (não parece?!). Então nos resta surpreender, assim como há exatos 69 anos.
Time campeão Paulista de 1943 – Foto: Site Oficial

O ano era 1943. O São Paulo que tinha sido re-fundado faziam apenas 8 anos ainda estava galgando ser uma potência no Estado, combatendo já velhos times como o SCCP (33 anos de existência) e a própria SEP (29 anos), que não davam conta de representar o estado de São Paulo direito. Esses dois times eram os únicos que ganhavam o campeonato estadual até então. Depois da fundação em 1935, o São Paulo nunca havia ganho um título, então quando o fizesse, ele teria que ser especial. Tinha que ser histórico. E foi o que aconteceu. Em 3 de outubro do ano citado, o São Paulo fez o improvável e começou a escrever sua grande história vencedora em cima de um clube que seria seu maior rival nos anos seguintes. 

Com King; Piolim e Virgílio; Zezé Procópio, Zarzur e Noronha; Luizinho (capitão), Antonio Sastre, Leônidas, Remo e Pardal e o técnico Joreca, o São Paulo segurou um empate sem gols contra a SEP de  Oberdan, Junqueira e Osvaldo; Brandão, Og Moreira e Dacumo; Caxambu, Gonzales, Cabeção, Villadoniga e Canhotinho que nos deu o primeiro título Paulista contabilizado pelo atual estatuto. O árbitro foi Carlos de Oliveira Monteiro “Tijolo” e a renda Cr$ 552.577,00 com público de 42.143 pagantes no Pacaembu. Campeões em cima da “já consagrada” porcada! Mas a data não é histórica só pelo triunfo diante dos verdinhos…

Dizem que havia uma piada entre os dirigentes da SEP e SCCP, que antes dos campeonatos tiravam cara ou coroa para “saber quem seria o campeão”. Se desse cara, o Palmeiras levaria, coroa, o Corinthians. Mas o dirigente do SPFC na época, Frederico Menzen, questionou: – “E o São Paulo?” – “Só se a moeda cair em pé”, responderam  ironizando o novato. O final eu já contei lá em cima: o São Paulo surpreendeu, foi campeão em cima da falastrona porcada e a tal moeda caiu em pé! Até na comemoração a torcida impôs uma moeda no alto de um carro para desfilar na cidade.

Então, que o brio que o time dos anos 40 teve pra fazer a moeda cair em pé possa ressurgir nos onze que estarão em campo no Morumbi no próximo sábado. Que aqueles caras sintam o peso da camisa de um clube que foi criado para ostentar dignamente o Estado de São Paulo.


A campanha do SPFC no Paulistão daquele ano, que era em formato de pontos corridos, foi a seguinte:

21/03/1943  – São Paulo 4 x 1 Comercial (SP)
27/03/1943 – São Paulo 1 x 2 Ypiranga
04/04/1943 – São Paulo 5 x 1 SP Railway
11/04/1943 – São Paulo 4 x 3 Jabaquara
18/04/1943 – São Paulo 1 x 1 Portuguesa
02/05/1943 – São Paulo 1 x 2 Corinthians
08/05/1943 – São Paulo 1 x 1 Juventus
16/05/1943 – São Paulo 6 x 1 Santos
23/05/1943 – São Paulo 8 x 1 Port. Santista
13/06/1943 – Palmeiras 1 x 2 São Paulo
04/07/1943 – São Paulo 2 x 1 SP Railway
18/07/1943 – Comercial (SP) 1 x 2 São Paulo
24/07/1943 – Jabaquara 2 x 3 São Paulo
01/08/1943 – São Paulo 2 x 1 Ypiranga
08/08/1943 – São Paulo 3 x 0 Portuguesa
14/08/1943 – São Paulo 9 x 0 Port. Santista
22/08/1943 – São Paulo 3 x 2 Juventus
05/09/1943 – São Paulo 2 x 0 Corinthians
12/09/1943 – Santos 1 x 4 São Paulo
03/10/1943 – São Paulo 0 x 0 Palmeiras
Fonte: rsssfbrasil.com


Eu vou no sábado, e você? o/
#VAILÁDECORAÇÃO