Ainda está muito presente na cabeça de santistas e tricolores a transferência do Ganso para o São Paulo, que deixou o time que o revelou e lhe proporcionou visualização no cenário mundial e uma parceria histórica com Neymar, para jogar no rival paulista e projetar um futuro diferente.

Foto: Marcos Ribolli/Globo Esporte

Essa “parceria” entre Santos e São Paulo não é de hoje. Alguns jogadores que trocaram o clube da baixada pelo tricolor paulista se deram muito bem e foram campeões. Assim como tricolores também escolheram o Santos.

Alguns nomes famosos, como Zetti e Serginho Chulapa, trocaram o São Paulo pelo Santos após serem campeões pelo Tricolor. Depois do nome consagrado escolheram jogar pelo time da Vila
Toninho Guerreiro, Pita e Aílton Lira são exemplo contrários. Deixaram o Santos para jogar no São Paulo.

Lira chegou ao Morumbi em 1980 e, apesar de atuar por apenas uma temporada, conquistou o Campeonato Paulista daquele ano. Pita teve mais sucesso no Tricolor. O camisa 10 conquistou os Campeonatos Paulista em 85 e Brasileiro em 86, ficando conhecido como um dos “Menudos do Morumbi”. Toninho Guerreiro deixou o Santos em 1969 para ser campeão bicampeão consecutivo com o Tricolor em 70 e 71. Como já havia sido campeão pelo Santos três vezes consecutivas, foi campeão Paulista cinco vezes seguidas.

As mais recentes transações são Juan, Rodrigo Souto e Arouca. O primeiro deixou o Tricolor no ano passado e foi contratado por empréstimo pelo Santos a pedidos de Muricy Ramalho. Arouca e Rodrigo Souto foram trocados entre os clubes. Troca essa muito contestada pelos torcedores, pois o São Paulo perdeu Arouca, um dos melhores volantes do Brasil para o Santos, onde foi deu continuidade ao seu trabalho e foi campeão. Já Rodrigo Souto, ao final de seu empréstimo, deixou o Tricolo para atuar no Japão.

Como podemos perceber, a relação entre Santos e São Paulo existe há muito tempo. Esse ano mais uma transação vai entrar para a história. Esperamos que, assim como Pita, Ganso também possa fazer um belo trabalho no Tricolor e entre para história. Que junto com ele o torcedor possa soltar o grito de “é Campeão” que está entalado há muito tempo. Agora é só uma questão de tempo para sua estreia.