Casemiro tem uma história um tanto quanto interessante no São Paulo. Revelado em 2010 ganhou destaque no Tricolor quando subiu para o profissional e logo teve seu nome convocado para defender a Seleção Sub-20. Foi campeão Sul-Americano e Mundial sob o comando do nosso atual técnico, Ney Franco, o qual conhece muito bem e reconhece as qualidades do jogador.

Foto: Luiz Pires

Pode-se considerar Casemiro como umas das melhores revelações do São Paulo na época. Mas que, de algum tempo pra cá, caiu de muito de rendimento e passou a ser fortemente criticado pela torcida. Seus altos e baixos, seu estrelismo e sua falta de interesse em campo resultou em apelidos nada agradáveis e um desconforto entre jogador e torcedor.

Esse ano já teve várias oportunidades para reconquistar a confiança do torcedor, mas tentativas em vão, o futebol do Casemiro realmente estava com problemas. Sendo assim, a solução foi o banco de reservas, e já faz algum tempo que esse tem sido o seu lugar.

Com o desfalque na zaga de Rafael Tolói, domingo, na derrota para o Grêmio, Ney Franco escalou Casemiro como terceiro zagueiro, posição que já havia jogado pela Seleção sub-20. Para a surpresa de muitos, o resultado individual do jogador foi muito bom. O resultado final do jogo infelizmente não é o que esperávamos, mas olhando em particular, Casemiro foi muito bem e voltou a ter o reconhecimento da torcida que o aplaudiu quando saiu substituído por Willian José.

Para os próximos jogos Casemiro espera ter uma sequência como titular, seja como zagueiro ou volante. O jogador está disposto a reconquistar o grande futebol que o revelou e ajudar o Tricolor.

“O que vale é jogar. Independentemente da formação, estou aqui para ajudar. Apesar da derrota, saí bem feliz, pois dei o meu máximo dentro de campo.” – Casemiro