O nosso goleiro artilheiro finalmente voltou a atuar pelo tricolor, e não tem como deixar passar em branco essa volta tão gloriosa, que já rendeu gol de falta e até goleada do time. Seria coincidência que o time tenha melhorado depois da volta do Rogério Ceni? Em outro texto já comentei sobre o perfil de líder que o goleiro imprime em sua história como capitão no São Paulo. Hoje falarei do tipo de motivação que Rogério Ceni apresenta e com isso, consegue promover confiança em sua equipe.
Divulgação

A motivação é um fator essencial para atingir um objetivo, o que te leva a tomar certas decisões é o grande segredo. Alguns atletas podem se sentir motivados a jogar futebol por puro prazer que a atividade proporciona, outros pela fama que pode alcançar por meio do esporte. Os motivos são os mais diversos, mas são estes motivos individuais que determinam o quanto o atleta se esforça para alcançar a meta final.

Segundo Murray (1938 apud WEINBERG & GOULD, 2001) existe um tipo de motivação que é voltada para a realização e refere-se aos esforços de uma pessoa para dominar uma tarefa, atingir seus limites, superar obstáculos, desempenhar-se melhor do que os outros e orgulhar-se do seu talento.

A motivação para a realização e a competitividade lidam não apenas com o resultado final da busca por atingir seus limites, elas lidam também com a jornada psicológica para alcançá-la. (WEINBERG & GOULD, 2001)

Esses dois aspectos ,motivação para a realização e a competitividade, influenciam em uma ampla variedade de comportamentos, pensamentos e sentimentos, incluindo os seguintes:
– escolha da atividade (por ex: buscar adversários de igual capacidade para competir contra eles ou procurar jogadores de maior ou menor capacidade para jogar);
– tentativa de perseguir os objetivos (por ex: com que frequência o atleta pratica);
– intensidade do esforço na busca de objetivos (por ex: o quão intensamente o atleta tenta durante um treinamento);
– persistência em face de fracasso e de adversidades (por ex: quando os procedimentos se tornam árduos, o atleta se esforça mais ou relaxa?).

A motivação para a realização pode ser desenvolvida, mas depende muito do quanto o atleta está disposto à isso. Como foi explicado acima, os atletas que já a possuem em sua personalidade são aqueles rotulados como “esforçados” e “persistentes”.
E você, leitor, acredita que o Rogério Ceni tenha mesmo esse tipo de motivação? Será que a presença dele em campo já influencia no desempenho dos outros jogadores? Deixe sua opinião nos comentários.
Saudações tricolores!

Raísa Lobato
Psicóloga
CRP 06/109459

Referências Bibliográficas:
WEINBERG, R. & GOULD, D. Fundamentos da Psicologia do Esporte e Exercício. 2ed. EditoraArtmed. 2001