Saudações tricolores!

Hoje o SPFC encara o campeão da Copa do Brasil, Palmeiras, pelo Campeonato Brasileiro. O jogo será na Arena Barueri e o tricolor estréia Ney Franco no comando do time, além de Rafael Tolói na zaga.
Rafael Tolói pode estreiar hoje contra o Palmeiras
A zaga sempre tem sido um problema para o SPFC. Para o time que teve a zaga menos vazada nos anos em que foi campeão brasileiro, a zaga atual é uma peneira! Jogadores como Paulo Miranda, Edson Silva e até mesmo Rhodolfo não passam tanta segurança assim. E a quantidade de gols que tomamos de cabeça, por mal posicionamento da defesa… Enfim, é melhor nem começar a contar!
Desejo sorte aos estreiantes e espero sinceramente que comecem a resolver os problemas do tricolor.
Mas o foco da minha coluna hoje é outro. Esta semana li um texto, de torcedor em blog, o qual achei muito interessante. O texto falava de como o torcedor do SPFC parou em 2005. Tenho que concordar! Nenhum zagueiro que a diretoria possa trazer será bom o suficiente se não for Lugano. Volante? Ah, tem que ser o Mineiro (não importa que já tenha uma certa idade e não esteja jogando nem na divisão principal da Alemanha). Lateral direito? Cicinho, claro. Mesmo que o próprio jogador tenha admitido a falta de respeito com o SPFC na sua segunda passagem, que aliás foi pífia. E todos esperam que Rogério Ceni volte o mais rápido possível… Mas aquele Rogério de 2005. Pensar em outro goleiro? Nunca, jamais… Mesmo o Rogério já tendo uma certa idade, voltando de contusão…Não, é o único goleiro.  
E até o tricampeonato Brasileiro é esquecido, pois raramente algum jogador daquele tricampeonato é citado de modo saudosista, independente de quão difícil foi aquela conquista (e olha que eu não sou fã de Muricy, mas ele foi parte daquela conquista. Não o único responsável, mas parte dela). Dagoberto (que ajudou o time naquela conquista) é escrachado, Borges então ninguém lembra. Jogadores frescos, mimimi, não conquistaram nada… Nada? Não que eu queira eles de volta o SPFC, não é isso. Mas acho incrível torcedor que só quer aqueles jogadores de 2005. Nada do que se passou após 2005 tem valor, só a conquista de 2005. Eu entendo que a conquista da Libertadores e do Mundial sejam o ápice que qualquer torcedor imagina para o seu time. Só que este torcedor esquece que o futebol é cíclico. Voltar para aquele time de 2005 não é possível. O que deveria ser feito é aprender com aquele time, buscando características semelhantes no time atual (que aliás, são poucas!). Explicando melhor: aquele era um time que tinha garra, disso ninguém discorda. Era um time que não perdia gols nem tinha jogadores expulsos em vésperas de clássicos (entendeu o recado Luís Fabiano?), estavam todos no auge de seu preparo físico.
Era um time que defendia muito bem, mas tinha um meio-campo que sabia o que fazer com a bola (será que o nosso meio-campo sabe? Tenho lá minhas dúvidas…), principalmente em contra-ataque. Pra finalizar este assunto, eu entendo que a conquista de 2005 foi admirável. Eu só acho que para mirarmos em futuras conquistas, está mais do que na hora de aprender com o passado e não só ficar nele. Afinal, ‘as tuas glórias vem do passado’, mas as conquistas também tem que vir do presente.
E aí não entendo a segunda notícia que li esta semana. O SPFC recebeu uma bela proposta pelo Lucas do Manchester United. Uma proposta de 33 milhões de Euros (o que daria aproximadamente R$ 82,4 milhões). Pra mim? Lógico que aceitaria e vendia o garoto. Futebol, hoje, é isso. Você revela um jogador pra ele dar títulos ao time (isso, o Lucas ficou devendo) e depois pra vendê-lo com uma boa margem de lucro. Hoje, o mundo é isso. E fora que você consegue manter um craque até certo ponto. Principalmente se o jogador quer ficar. Pela reação, era nítido que o jogador queria ir. E tem mais que querer mesmo. E com este dinheiro, o tricolor conseguiria comprar algumas peças-chave, altamente necessárias no time atual. Ainda precisamos de um camisa 10. Ainda não me conformo com Forlán indo para o Internacional. Enquanto outros times estão se reforçando, o tricolor trouxe apenas Rafael Tolói. E só. É muito pouco para um time disputar lá na frente. Não temos o melhor elenco, como vejo vários torcedores dizendo. E já foi provado que este time atual tem sérias dificuldades em fases decisivas. Ainda temos 2 chances de irmos pra Libertadores de 2013: uma das vagas do Brasileirão e a Sul-Americana. Agora, na minha opinião, é preciso reforçar este time.
Acho que Ney Franco terá muito trabalho pra montar um time competitivo com o atual elenco. Mas, futebol sempre apresenta um ‘quê’ de mágica que não se explica… Só nos resta torcer pra que em 2012, este time tenha um pouco disso.
Thaís Cachuté Paradella.