Saudações tricolores!
Hoje escrevo minha coluna número 100 das São-Paulindas!!
Neste período todo, sempre aos domingos eu escrevia minha coluna, que sempre teve como marca o lado crítico. Foi me dada carta branca para escrever (e nisso eu agradeço demais à direção do site), pois eu não consigo achar tudo o que o SPFC faz a melhor coisa do mundo. Não tenho aquela visão ‘somos soberanos não importa o que’, que vejo muito torcedor tendo. Futebol é cíclico. Ainda temos o maior número de títulos internacionais e Brasileirões do futebol brasileiro. Mas no momento estamos em baixa. Neste período todo, pude acompanhar diferentes times sendo montados e desmontados no meu tricolor e infelizmente, o resultado final para o SPFC e para a torcida não foi dos melhores… Foram seguidas eliminações na Libertadores, Copa do Brasil, Paulistão e por aí vai… Assim sendo, na minha centésima coluna resolvi revisar alguns temas e tentar dar algumas respostas que talvez expliquem a atual fase do tricolor.
1) Por que o SPFC vem sendo eliminado de torneios mata-mata? Simples, porque não consegue montar um time meramente decisivo. Quando se pensa em jogadores ‘bom-moços’ antes de qualidade técnica ou quando se pensa que jogador com raça e decisivo é aquele que dá voadora ou é expulso, o conceito já está errado. Times decisivos são aqueles que possuem uma boa estrutura tática. O time pode até não ser o melhor do mundo, lotado de craques, mas você enxerga totalmente o padrão de jogo da equipe. Além disso, o time decisivo sabe que quando se joga em casa, se faz o placar. E caso não faça, se optar por defender-se, não toma gols exdrúxulos. E quando tem chance no ataque, não perde e converte em gol. A receita pra time decisivo é esta. Exemplos de alguns times decisivos: Boca Júnior em 2007, Estudiantes em 2009.
2) Usar ou não a base? Esta é uma questão que tem dois lados. Quando se pensa em usar a base, pensa-se também em vender o jogador para que ele traga lucro ao clube. Não adianta nada ter um jogador da base anos no time sendo que ele não traz títulos e nem é vendido. Assim sendo, alguns jogadores já deveriam ter sido vendidos, enquanto outros não foi dada a devida chance no profissional. E também acho que tratar jogadores da base com instalações e tratamento de primeiro mundo, quando se joga no Brasil pode ser maravilhoso na teoria, mas na prática não funciona assim. Quando você já trata os jogadores da base como profissionais, o que eles vão aspirar? Só mais dinheiro, pois o tratamento já é igual. Assim sendo, o tanto que Cotia dá de gasto ao SPFC e o tanto que está dando retorno tem que ser melhor analisado. Ter toda a estrutura que Cotia tem e sequer avançar à fase seguinte na Copa SP de Futebol Júnior é inadmissível. Permitir que jogador da base fique batendo boca com a diretoria, exigindo mundos e fundos, pra depois também terminar na Justiça é também algo inadmissível. Permitir que jogadores que recém subiram ao profissional já ganhem status de craques é algo que a diretoria não pode permitir. Afinal, craque tem que mostrar  em campo que é craque e não em redes sociais e na mídia.
3) E o técnico? Perdoe-me quem acha que a melhor coisa do mundo é o Manchester United e seu técnico vitalício. OK, ele conquistou vários títulos… Sim… Mas acho que a idéia é outra, não consigo imaginar um técnico ad infinitum no SPFC. E acho que os últimos técnicos que passaram pelo tricolor foram pífios. Fomos tri-campeões Brasileiros em 2007, 2008 e 2009 com Muricy Ramalho. Ele fez um bom trabalho, mas o time possuía algumas limitações visíveis. Embora tivesse sido campeão, era um time que não possuía um bom desempenho em mata-mata. Era um time que ia bem na média. Ou seja, ganhava um jogo ali, perdia outro aqui, empatava um, ganhava outro… Na média, ia bem. E pra ser campeão Brasileiro (pontos corridos), a média é que importa. Mata-mata não. É jogo decisivo. Não dá pra achar que empatar em casa é um bom resultado. Foi o que aconteceu nas 3 Libertadores. Depois dele passaram Baresi, Ricardo Gomes, Adilson Batista…E nada do time engrenar. Acho que todos estes técnicos eram fracos de conceitos. Não sabiam armar uma boa equipe. Quando o elenco não era lá estas coisas (ou seja, não havia sequer um único jogador de linha decisivo), somado a um time mal-montado, deu no que deu. Na atualidade, encaro que Leão sofre do mesmo problema. Se você discorda, pergunto: qual é o padrão tático do time do SPFC? Ninguém sabe. O meio-campo não defende, muito menos arma jogadas. O ataque ou baixa a cabeça e quer sair driblando (o que pode dar certo em 10% dos casos. 90% das vezes vai se bater na zaga), ou fica-se querendo uma bola mais que perfeita, pra ainda perder chances. Enfim, não se tem padrão de jogo algum. E isso cabe ao técnico. O Palmeiras (que está na Copa do Brasil), com Felipão, é um time tecnicamente limitado, mas taticamente bem postado em campo. Felipão conseguiu ir muito mais longe que se esperava com o time do Palmeiras. Enquanto o SPFC, afundou mais uma vez.
4) E o futuro? Acho que este ano ainda temos uma única chance de irmos à Libertadores do ano que vem. E esta chance chama-se Sulamericana. Não acho que o SPFC fica entre os 4 primeiros do Brasileirão. Mas pra ao menos ter chance na Sul-Americana, muita coisa tinha que mudar. A começar, pelo técnico. Depois, eu faria com que cada jogador que fosse expulso de maneira imbecil tivesse uma bela redução no salário. Além disso, faria com que o time ganhasse prêmios em dinheiro a cada fase avançada na SulAmericana. Ainda dá pra contratar alguns jogadores e este time precisa demais! Denis no gol (sinto muito!), mas não dá. E ficar esperando que Rogério Ceni volte, em grande fase, aos 38 anos depois de contusão, também não dá (e olha que eu tenho um respeito monstro pelo mito), mas acho que está na hora de pensar na aposentadoria do nosso camisa 1. E assim, está mais do que na hora de pensar em um goleiro confiável. Precisamos de mais um zagueiro. O Rhodolfo (embora tenha errado no último jogo contra o Coritiba), ainda é melhor do que Paulo Miranda e companhia. Mas precisamos de um bom zagueiro. O nosso meio-campo precisa se definir. Ficar com Jádson (que não arma jogadas muito menos marca), Cícero (o que ele faz em campo mesmo?), Denílson (sem comentários), não dá. Um meio-campista armador e um volante de marcação seriam muito bem vindos. O ataque é este mesmo, com Lucas e Luís Fabiano. Não sou fã do Luís Fabiano, nunca fui, todos que lêem minha coluna sabem disso. Acho que será mais uma passagem dele sem qualquer título no clube. Acho que ele é ‘esquentadinho’ demais e pouco decisivo (‘Ah, mas a média de gols dele….’) Fazer gol contra Ituano e demais times assim, pra mim, conta muito pouco. Fazer gol importante, contra o Coritiba no Couto Pereira e decidir a vaga para o SPFC, aí sim contaria! Mas é o que temos. Assim, uma boa conversa, um time melhor, pode até ajudar. Mas que fique claro que esta é sua última temporada caso não haja título. Renovar com ele para 2013 passando em branco pela SulAmericana e pelo Brasileirão, pra mim, não tem o menor sentido. Rompe o contrato (a multa não deve ser tão alta) e invista melhor para o ano que vem.
5) E a soberania? Não sou destas que acha que rival do SPFC é o Milan, é o Barcelona. Não é. Os nossos rivais são daqui mesmo. No momento, não estamos no topo. Não quer dizer que vamos ficar aqui pra sempre, pelo contrário. Está na hora de recolher os cacos e se pensar, planejando o que resta da atual temporada e a próxima. A torcida acostumou com títulos. Ótimo. Mas o futebol é marcado por indas e vindas. Está na hora de repensar as coisas para que o SPFC volte a acupar o local que merece, o topo.
E vamos ver o que o ano nos reserva. Só sei que mediante a derrota para a Portuguesa ontem (Portuguesa uma das últimas colocadas do Brasileirão), dá pra perceber que o buraco é mais embaixo..!
Thaís Cachuté Paradella.