Saudações tricolores!

Hoje o SPFC enfrenta o Santos pelo Campeonato Brasileiro. O jogo não contará com as principais estrelas de ambos os times, que estão na seleção. Assim, Neymar, Lucas, Casemiro, atletas que poderiam definir o jogo não estarão em campo.

Fora isso, o foco de tanto SPFC quanto Santos está em outras competições. O tricolor está pensando no jogo contra o Coritiba válido pela Copa do Brasil. E o Santos está também pensando no jogo contra o Corinthians, pela Libertadores.

Aqui entre nós, mesmo após o jogo interessante do Brasil contra a Argentina ontem, é complicado para o torcedor, que paga ingresso, não ter o direito de ver seu time completo em campo.

Por que, ao invés de termos 20 clubes na primeira divisão, não contamos com uma primeira divisão mais enxuta? 16 times. Não mais que isso. Até 12 não seria má idéia. O campeonato não seria tão longo e quando a seleção solicitasse jogadores para jogos importantes (importantes, ou seja, amistosos contra seleções sem nenhuma expressão não deveriam sequer existir, mas não foi o caso do jogo de ontem), os clubes, que efetivamente pagam o salário dos jogadores, não ficariam desfalcados.

E por falar em desfalque, o SPFC ainda não contará com Luís Fabiano, suspenso. Eu não sou fã incondicional de Luís Fabiano. ‘Mas como??? Todo são-paulino é fã do Fabuloso’. Minha pequena lista de jogadores tricolores dos quais eu sou fã e tenho lembranças fabulosas inclui Raí, Lugano… Jogadores que aliavam raça e qualidade, além de terem conquistado títulos importantíssimos. Ainda falta um título a Luís Fabiano pelo SPFC. Luís Fabiano possui estas características? Sim, mas acho que falta um pouco de entendimento do que é o jogo em si a ele. Ele já tem bastante experiência pra saber que diversos cartões amarelos resultam em suspensão. E faltas bobas, na cara do juiz, resultam em cartão amarelo.

Quando o SPFC trouxe Luís Fabiano, esperava que o jogador estivesse em campo em jogos exatamente como os de hoje: um clássico. Por menos que valha hoje, todo jogo ainda vale 3 pontos. E ganhar do Santos poderia dar uma boa tranquilidade e confiança ao elenco para enfrentar o Coritiba durante a semana.

Uma derrota hoje pode levar o time a entrar mais cabisbaixo contra o Coxa, o que nenhum torcedor tricolor quer. Esta Copa do Brasil não está difícil de se ganhar. Não há um mega time, imbatível dentre os 4 semifinalistas. Ou seja, o tricolor completo, focado, tem muitas chances de conquistas a Copa do Brasil.

Mas hoje o desafio é o Santos. Embora a cabeça esteja na Copa do Brasil, o tricolor entra em campo hoje e todos nós esperamos que saia com a vitória.

E pra fechar a coluna da semana, sei que tem muitos tricolores que não curtem a seleção. Eu entendo. Entendo perfeitamente. O ânimo que eu vejo o tricolor jogar não é o mesmo que eu vejo a seleção. Não acho Mano Menezes um técnico fantástico (longe disso!) e não suporto as maracutaias e os jogos inúteis que a CBF impõe, desfalcando meu time de coração. Mas aqui entre nós, o jogo de ontem entre Brasil e Argentina foi muito bom. Não tem como negar. Foi um jogaço! E a seleção é esta que está aí. Um pouco mais de treino fará muita diferença. O que não pode é estragar a seleção com nomes de jogadores que não estão desempenhando o melhor do seu futebol e já tiveram mais do que chance na seleção. Se o Brasil pretende ter um desempenho bom na Copa do Mundo de 2014, está mais do que na hora de manter esta base, com Neymar, Lucas e até Oscar e passar longe de nomes de jogadores que já tiveram sua chance e não desempenharam um bom papel. Que os tricolores me perdoem, mas Kaká é um desses nomes.

Thaís Cachuté Paradella.