Bom dia nação Tricolor! Por enquanto esse não é o ano que o torcedor esperava. No Paulistão fomos eliminados na semifinal, depois de chegar a liderar a competição. E agora o que nos resta, neste primeiro semestre, é a Copa do Brasil.

(Foto: Carlos Costa / Futura Press)

É claro que assim como todo o torcedor eu gostaria de estar disputando a outra competição, a Libertadores. Mas convenhamos que o time não vem jogando um futebol digno dessa importante competição. Além do que, temos que manter o nível, já que se sagrar campeão três vezes dessa competição é para poucos.

Sinceramente acreditei que o começo desse ano seria outro fiasco para o São Paulo. O time não conseguiu um bom entrosamento e nem contratações de peso foram feitas. E para ajudar, o time que era exemplo de boa administração e resolver os seus problemas internamento, mudou radicalmente e agora a roupa suja é lavada em público.

Me envergonha muita abrir os jornais e sites de notícias e ver que o centro das atenções são Juvenal Juvêncio e o técnico Leão. Se a diretoria não gosta do treinador, que o mande embora. Infelizmente estamos a mercê deles, não temos o que fazer a não ser torcer para que o melhor seja feito e essa fase ruim passe logo.

Mas, vamos deixar as coisas ruins de lado e falar do que realmente interessa. Quando anunciaram a contratação do Jadson confesso que fiquei com o pé atrás. Ele não tinha o perfil que a maioria dos torcedores queriam para um camisa 10. E olha que faz tempo que o São Paulo não tem um camisa 10 a altura do status.

Porém, depois de alguns tropeços, falta de entrosamento, ritmo de jogo e etc. e tal como dizem, Jadson se mostrou, pelo menos, para mim, uma grata surpresa neste elenco um tanto quanto carente.

Nos últimos jogos da Copa do Brasil ele se mostrou decisivo, não pelos gols – até porque isso é função do Lucas e do Luis Fabiano, mas daqui a pouco eu falo deles. Mostrou um bom domínio de jogo, chamando até mesmo, em alguns momentos até chamou a responsabilidade para si.

Claro que não estou dizendo que ele é craque, a solução dos nossos problemas. Mas ele vem apresentando algo que muitos desse elenco não têm: vontade. Ele não aparece em todo o jogo, mas as jogadas decisivas andam tendo a atuação direta dele.

Mas de nada adianta um jogador bom, se os decisivos andam pecando. Me irritou muito no jogo de quarta-feira as chances desperdiçada por Luis Fabiano e Lucas. Muitas individualidade, como se os dois estivessem competindo para ser o herói do jogo.

Até quando essa individualidade? Não são eles que têm que aparecer, mas sim o elenco como um todo. Enquanto o time não entender isso, a situação vai ser essa, um jogo que provoca ataques cardíacos nos torcedores.