Qual o segredo dos atletas que conseguem exibir um desempenho extraordinário em diversos jogos? Como explicar um atleta que define o jogo e demonstra perfeição na sua atuação? Na coluna de hoje falarei sobre o ponto mais alto do desempenho de um atleta: o desempenho máximo.
 Divulgação

O desempenho máximo refere-se a um desempenho esportivo destacado, o melhor de determinado atleta, uma realização atlética espantosa. Todos os esportistas vivenciam o desempenho máximo, no sentido de que ocasionalmente tem o seu melhor desempenho, individualmente. Alguns atletas parecem estar próximos do ápice de seu jogo com frequência e, nesse sentido, vivenciam seu desempenho máximo regularmente. (MARTIN, 2001).

Estudos referentes ao fenômeno do desempenho máximo comprovam que é possível identificar características comportamentais do desempenho máximo e que os atletas podem aprender a jogar próximos ao nível ideal de desempenho, e nesse sentido, podem vivenciá-lo regularmente.

Martin (2001) ao analisar diversos estudos referentes ao desempenho máximo propõe quatro características comportamentais principais:

  • Orientação para deixas adequadas: ao vivenciar o desempenho máximo atletas relatam experiências como “estar concentrado no presente”, “não deixar-se influenciar por distrações” e “concentrar-se totalmente em um pensamento ou ação específicos”. Esses tipos de afirmações sugerem que atletas que vivenciam desempenhos máximos apresentam um comportamento adequado de orientação ou concentração, em relação a deixas críticas do ambiente esportivo. Durante um desempenho máximo não estavam pensando em ganhar ou perder, ou em outros resultados.
  • Controle de estímulo de habilidades aprendidas através de contingências: o comportamento aprendido por contingências é um comportamento que é emitido diante de deixas ambientais e que é fortalecido, por ensaio e erro, pelas consequências imediatas. Quando descrevemos um atleta como “natural” sugere-se que as suas habilidades esportivas foram aprendidas através das contingências porque “parece” certo, não porque estejam seguindo um conjunto de regras específicas. O comportamento aprendido através das contingências tem a probabilidade de ser considerado natural, automático e criativo.
  • Confiança: ao serem questionados do modo como se sentiam durante o desempenho máximo os atletas relatam: “sentir-se confiante”, “saber que eram capazes de executar as habilidades com perfeição”, “vivenciar uma completa ausência de medo de falhar” e “ser capazes de reconhecer e lidar com situações de pressão”. Esses tipos de reações ilustram vários componentes da confiança. Especificamente, pressupõem que o atleta esteja física e tecnicamente preparado, concentrando-se em objetivos reais para a competição, usando autoconversação e imagens positivas.
  • Nível ideal de prontidão: a última característica associada ao desempenho máximo parece ser um nível ideal de prontidão fisiológica. Atletas relatam que durante desempenhos máximos, eles: “sentem-se no controle das emoções e do nível de prontidão”, “sentem-se animados”, “estão à vontade” e “estão prontos para o jogo”.
Como foi dito no inicio do texto, é possível que ocorra a aprendizagem do comportamento de jogar próximo ao nível ideal de desempenho. O psicólogo do esporte poderá com técnicas específicas auxiliar no desenvolvimento de habilidades esportivas, na transferência dessas habilidades dos treinos para as competições, a manter a confiança e a concentração, e dessa forma, aumentar as chances dos atletas vivenciarem desempenhos máximos.

Mas e vocês, leitores, o que acham dessa explicação para os atletas exímio? Você acredita que seu ídolo já tenha atingido ou atinja sempre seu desempenho máximo? Conte-nos o que acha nos comentários.

Saudações tricolores!

Raísa Lobato
Psicóloga
CRP 06/109459

Referências Bibliográficas:
MARTIN, G. L. Consultoria em Psicologia do Esporte: orientações práticas em análise do comportamento. Campinas. Instituto de Análise do Comportamento, 2001.