Qual o motivo que leva um time a jogar ofensivamente para obter gols, e outra equipe de forma defensiva para evitá-los? Por que alguns jogadores exibem seu rendimento ótimo diante da torcida ou quando tem prêmios altos, enquanto outros apresentam rendimento constante, independente do jogo? A resposta para essa variação do comportamento é a motivação, tema da coluna dessa semana.

Samuslki (2009) acredita que a motivação pode ser definida como um processo ativo, intencional e dirigida a uma meta, o qual depende da interação de fatores pessoais (intrínsecos) e ambientais (extrínsecos).

Weinberg & Gould (2001) propõem um modelo interacional da motivação para a prática esportiva. Esse modelo postula que a prática esportiva depende da interação entre a personalidade (expectativas, motivos, necessidades, interesses) e fatores do meio ambiente (facilidades, tarefas atraentes, desafios e influências sociais). No decorrer da vida do atleta, a importância dos fatores pessoais e situacionais podem mudar, dependendo das necessidades e oportunidades atuais.

Para o esporte de alto nível, o desenvolvimento da motivação voltado para o rendimento é de fundamental importância. Isto é, o desejo de melhorar, aperfeiçoar ou manter o rendimento em alto nível.

A motivação para o rendimento refere-se ao esforço de uma pessoa com o fim de solucionar uma tarefa exigente, adquirir excelência esportiva, superar obstáculos, procurar e demonstrar uma melhor performance do que outras pessoas e sentir-se orgulhoso ao mostrar seu talento (WEINBERG & GOULD, 2001).

A motivação do rendimento é caracterizada por duas tendências: procurar o êxito e evitar o fracasso. No esporte de rendimento, essas tendências podem se manifestar em atletas do tipo vencedor e perdedor (HECKHAUSEN 1963 apud SAMULSKI, 2009).

De acordo com Samulski (2009) as técnicas de motivação têm por objetivo promover formas desejadas de comportamento (por exemplo, treinamento constante, motivação para o rendimento, força de vontade) e evitar comportamentos não desejados (motivação instável para o treinamento, orientação para o fracasso, pensamentos negativos). Os objetivos principais das técnicas de motivação são o desenvolvimento de formas positivas e a estabilização de formas adequadas de comportamento.

Como vimos, a motivação apresenta-se de forma intrínseca e extrínseca, sendo a primeira de caráter individual. Com isso, é fundamental que haja um processo de autoconhecimento do atleta para que ele descubra o que lhe motiva, e dessa forma, usar isso a seu favor na vida esportiva e pessoal.
Saudações tricolores!

Raísa Lobato
Psicóloga
CRP 06/109459

Referências bibliográficas:
SAMULSKI, D. Psicologia do Esporte, conceitos e novas perspectivas. 2 ed. Editora Manole, 2009
WEINBERG, R. & GOULD, D. Fundamentos da Psicologia do Esporte e Exercício. 2ed. Editora Artmed. 2001