Existe uma grande diferença entre o Jadson de antes e o Jadson de agora. O de antigamente era um camisa 10 assustado e desadaptado ao futebol brasileiro. Acostumado com o estilo ucraniano de jogar futebol, atuando pelo Shakthar, estranhou quando retornou ao Brasil para jogar no Tricolor, time que escolheu para defender após mais de 10 anos jogando na Ucrânia.

Foto: Rubens Chiri/Site Oficial

A adaptação foi complicada. Seu ritmo em campo era diferente ao de seus companheiros e, por isso, não conseguia exercer corretamente a função de um camisa 10, que é criar.

Quando chegou ao São Paulo a expectativa por parte de todos era enorme. Afinal, recebeu a sonhada camisa 10 são paulina de, nada mais nada menos que “Raí, o terror do Morumbi”, eterno ídolo.

A aposta e o investimento foram grandes, mas se opunham ao desempenho em campo.

Depois de muito se dedicar, buscando a adaptação o mais rápido possível, e o apoio e atenção integral do Leão, Jadson tem correspondido em campo o investimento que o São Paulo fez e a confiança depositada nele.

Ainda é cedo para dizer que ele é o camisa 10 dos sonhos. Mas até aqui, na segunda rodada do Brasileirão e nas últimas partidas pela Copa do Brasil, tem mostrado que evoluiu muito. Além de fazer gols, tem dado passes importantíssimos e participa da maioria das jogadas.

Muitas coisas ainda precisam ser aprimoradas, mas já é possível  perceber que o Jadson de agora é bem melhor que o de antes. Se continuar crescendo cada vez mais, pode fazer história no Tricolor.

Foto: Divulgação Site Oficial