A confiança e a concentração de um atleta são fatores imprescindíveis para um desempenho esportivo bem sucedido. É notável que quando um atleta está no auge de sua carreira sente muita confiança e tem excelente concentração.
Weinberg & Gould (2001) definem confiança como a crença do indivíduo de poder executar, com sucesso, o comportamento desejado.

A confiança desenvolvida no atleta auxiliará no desempenho deste, intensificando as emoções positivas, aumentando a concentração, estabelecendo metas mais desafiadoras, intensificando o esforço e desenvolvendo estratégias competitivas efetivas (MACHADO, 2006)

Os atletas que possuem pouca confiança pensam acerca deles mesmos e sobre a sua própria ação a desenvolver de um modo diferente do que atletas confiantes. As palavras e os pensamentos de um atleta são aspectos críticos para sua performance.

Ao sentir-se confiante, o atleta tem mais probabilidade de manter-se calmo e relaxado sob pressão. A confiança permite que a mente fique livre para o atleta manter o foco na tarefa a ser realizada. Quando lhe falta confiança, há a propensão de se preocupar excessivamente em como está seu desempenho e como os outros percebem que está seu desempenho.

Atletas que possuem um nível elevado de confiança tende a entrar numa competição disposto a “jogar para ganhar”, assumem uma postura de coragem para arriscar e mantém o controle do jogo para obter a vantagem. Em contrapartida, atletas que não estão confiantes, jogam simplesmente para “não perder”, ficam receosos e mantém o foco em apenas não cometer erros.

A confiança apresenta-se como uma aliada ao atleta na sua performance, mas “estar confiante” não significa que o atleta sempre atuará bem. Pode ocorrer do atleta cometer alguns erros, tomar decisões erradas e talvez em algum momento perder a concentração. Mas a confiança em si mesmo auxiliará o atleta a se recompor e manter seu foco em direção ao seu melhor desempenho.
Martin (2001) propõe alguns componentes que designa a confiança de um atleta:

Estar física e tecnicamente preparado: em todas as modalidades esportivas, a demonstração repetida de domínio de habilidades esportivas, antes de uma competição, está relacionada com expressões de confiança em ser capaz de executar essas habilidades na competição.

Concentrar-se em objetivos realísticos para executar nas competições: o estabelecimento de objetivos para competições difere dos objetivos para os treinos. No momento de um jogo decisivo, os atletas confiantes são capazes de deixar de lado os objetivos de resultado e de concentrar-se realisticamente em dar um passo de cada vez, uma jogada de cada vez, e em apresentar-se de acordo com o melhor de sua habilidade. Tais objetivos realísticos de execução, para a competição, são tipicamente associados à confiança.

Sentir-se relaxado: atletas que parecem confiantes geralmente ficam à vontade e não tensos. Assim, saber manter-se relaxado logo antes e durante as competições importantes é uma parte essencial da aprendizagem da confiança.

Usar autoconversação positiva: atletas confiantes concentram-se, tipicamente, em seus pontos fortes e no que querem fazer para ter um desempenho eficiente.

Utilizar imagens positivas bem-sucedidas: atletas confiantes são capazes de usar o ensaio com imagens, logo antes das competições, para ajudar na concentração em sentimentos e posições corporais adequados à execução bem sucedida.

Diante dos componentes da confiança apresentados acima, vale ressaltar que a confiança é algo que qualquer atleta pode aprender, caso estejam dispostos a trabalhar com isso. Todos componentes apresentados podem ser treinados e um psicólogo esportivo pode auxiliar no alcance dessas características.
Saudações tricolores!
Raísa Lobato
Psicóloga
CRP 06/109459
Referências Bibliográficas:
MACHADO, A. A. Psicologia do esporte: da educação física escolar ao treinamento esportivo. São Paulo: Guanabara Koogan, 2006.
MARTIN, G. L. Consultoria em Psicologia do Esporte: oreintações práticas em análise do comportamento. Campinas. Instituto de Análise do Comportamento, 2001.
WEINBERG, R. & GOULD, D. Fundamentos da Psicologia do Esporte e Exercício. 2ed. Editora Artmed. 2001