Saudações tricolores! 
Hoje o SPFC enfrenta o Botafogo no Engenhão às 16h na primeira rodada do Brasileirão 2012. Embora esteja na fase decisiva da Copa do Brasil, o tricolor vai com força máxima para o jogo, contando com Lucas, Luís Fabiano e companhia. 
Em colunas anteriores, eu postei como o Brasileirão é bem diferente de torneios mata-mata como a Copa do Brasil ou o Paulistão. Para vencer o Brasileirão, é preciso um bom elenco e muita estratégia. Vamos aos fatos: 
1) O Brasileirão é composto por 2 turnos. Não é preciso ganhar o primeiro turno para ser campeão. O que já foi regra, hoje já não é mais. E nem sempre quem vai mal no primeiro turno não termina bem a competição. Vide o Cruzeiro em 2008, que beirou a zona do rebaixamento no primeiro turno e acabou saindo com uma vaga na Libertadores ao final do campeonato. O Flamengo, em 2009, também entra no grupo dos que não brilharam no primeiro turno, mas fizeram um segundo turno espetacular e sairam com a taça. 
2) Grandes diferenças de pontos podem ser tiradas. Quem não lembra do tricolor em 2008, tirando 10 pontos de diferença para o então líder Grêmio? Isso acontece, mas é claro é preciso contar com a ‘incompetência’ do time com mais pontos, que tem que necessariamente perder pontos. Naquela ocasião, o Grêmio conseguiu a façanha de perder estes 10 pontos, enquanto que o SPFC escalava rumo ao título. 
3) Para se vencer um Brasileirão, é preciso uma equipe. Sim, uma equipe, muito mais do que um time. Se você tem um time super bem entrosado, perfeitinho, 11 titulares e só, a hora que um jogador machucar ou for convocado para a seleção, seu time já era. Aí entramos com outro fato, uma coisa que atrapalha muito o Brasileirão chama-se CBF e afins… Não custa lembrar que 2012 é ano de Olimpíada. Assim, jovens promessas deverão desfalcar seus times por um tempo, não muito pela Olimpíada, mas principalmente pelos amistosos inúteis e exdrúxulos que a CBF resolve marcar. Ou seja, ter um banco decente é fun-da-men-tal!
4) Por mais incrível que isso possa parcer (e a torcida fica muito brava com isso), mas ganhar clássicos não é fundamental para ganhar um Brasileirão. Claro que é legal, a torcida fica feliz, mas são 3 pontos como qualquer outro. Em 2007 fomos campeões e perdemos para o Corinthians que foi rebaixado. O que você gostaria? Ganhar do Corinthians e não ser campeão? Ou seja, em termos matemáticos, ganhar clássico ou ganhar do último time da tabela tem o mesmo peso, 3 pontos. 
5) O STJD costuma atrapalhar… E muito! Quem não lembra os desfalques do SPFC em 2009? A suspensão incrível do Jean para as útimas rodadas? Quem não se lembra da juíza do STJD falando, com carinho, das trancinhas rubro-negras do Vagner Love? Ou seja, é bom não dar motivo. Faltas estúpidas, quebrar o pau com o juiz, tomar cartões vermelhos podem desfalcar muito mais os times do que a gente acha. 
6) Para a turma que começa a esbravejar: ‘O legal é campeonato mata-mata, Brasileirão é chato…blá, blá, blá…’, basta lembras das rodadas finais emocionantes de 2008. E basta olhar para os demais campeonatos europeus: italiano, espanhol, todos tem o mesmo esquema de pontos corridos e também campeonatos mata-mata (como a Copa do Rei) ao mesmo tempo. Ou seja, não é nada errado. É o campeonato mais justo. E o choro de quem perde, é livre. 
7) É interessante notar que na reta final, jogadores líderes de seus times costumam aparecer e fazer toda a diferença. Em 2003, no primeiro campeonato brasileiro de pontos corridos, o Cruzeiro ganhou muito com a ajuda de Alex. Em 2007, foi o ano de Rogério Ceni. Em 2008, Hernanes fez toda a diferença para o tricolor. Em 2009, Adriano e Pet no Flamengo levaram o time ao caneco. Conta muito ter um (ou mais) jogadores capazes na reta final de fazer a diferença. Talvez este seja o fiel da balança.
Encerro minha coluna com algumas fotos de momentos maravilhosos que passei no Morumbi, quando fui ver SPFC x Fluminense, válido pela penúltima rodada do Brasileirão de 2008. Estádio cheio, torcida animada, jogo fantástico…Saímos com o empate e a rodada decisiva foi com o Goiás. Mas este jogo ficou na minha memória e saí do Morumbi com a certeza que iríamos ganhar aquele Brasileirão. Quem sabe isso não se repete em 2012? 
Thaís Cachuté Paradella. 
Estádio lotado para ver SPFC x Fluminense em 2008. 
Eu no Morumbi à espera do início do jogo. 
Orgulho de ser tricolor! 

A chegada do time ao Morumbi: torcida recepcionando