Saiba mais sobre o time feminino do São Paulo campeão de 1997. Pouco conhecido, mas com uma bonita história.

Quando se fala em São Paulo FC logo vem à cabeça um grande time, de campeões, de títulos, de Raí, Rogério Ceni, Zetti, Lugano, Careca, Cafu, Darío Pereyra, Luis Fabiano, entre muitos outros. Mas pouco se sabe sobre o São Paulo FC feminino. Sim, o Tricolor já teve um time feminino, de campeãs, de título, de Sissi, considerada o Pelé do futebol feminino, de Katia Cilene, Karin, Margarete, irmã de Cafu, Cleo Brandão, atualmente jornalista e ex-apresentadora da Tv Bandeirantes, entre outras.

Atualmente o São Paulo não tem um time feminino, mas pode se orgulhar, pois já teve um dos melhores times de futebol feminino do Brasil.

Em 1997 o São Paulo conquistou o 1º Campeonato Paulista de Futebol Feminino, o Primeiro Paulistana.  Para chegar até a final e ser o primeiro campeão desse torneio, o Tricolor enfrentou grandes equipes, e rivais como Palmeiras, Santos e Corinthians, até a Portuguesa foi vítima do Tricolor. Não era fácil parar aquele time que tinha no gol Andréia, a atual goleira da Seleção Brasileira e Formiga, meio campo também da Seleção.

Quando o São Paulo feminino entrava em campo só podia esperar uma coisa, gols, muitos gols, 5×0, 6×0 era pouco para o Tricolor. As meninas gostavam mesmo era de goleada, 21×0 no time do Ativa, 15×0 no M3. Todos sob o comando do técnico Zé Duarte.

Algumas goleadas do Tricolor no Campeonato Paulista de 1997:


-SPFC 5X1 Universidade Mackenzie
-SPFC 7×1 Clube Atlético Juventus
-SPFC 6×0 Palmeiras
-SPFC 9×0 Portuguesa
-SPFC 9X0 Botafogo-SP
-SPFC 11×0 Atlético Rio Negro
-SPFC 13×0 Universidade Gama Filho

O sucesso do time feminino era tão grande que o São Paulo FC construiu, em Dezembro de 1997, o CCT Homero Bellintani, o CT de Guarapiranga, que foi a casa do futebol feminino tricolor até 2001, quando teve seu fim por falta de apoio e patrocínio.

Infelizmente nos dias de hoje pouco se acredita no futebol feminino. A falta de patrocínio, credibilidade e confiança faz com que grandes clubes que ainda acreditam no futebol percam a força. Mas se todos se unirem e dizerem SIM ao futebol feminino e acreditar que é possível, teremos a chance de ver grandes jogos de futebol com destaque para grande jogadoras. Porque futebol também é um universo feminino.