Saudações tricolores!

Hoje o SPFC enfrenta o Ituano às 18h30 na casa do adversário. O time não apresenta muitas novidades em relação ao último jogo, mas o assunto desta coluna de hoje não é o jogo em si, mas sim o caso Oscar.
Todos já estão cansados de saber a história de Oscar: o garoto que começou no SPFC e se rebelou contra o clube, rompendo o contrato e indo jogar no Internacional. Esta semana li vários blogs falando sobre o assunto (inclusive de um renomeado jornalista, blogueiro do UOL , que escreveu sobre o caso… Confesso que nunca imaginei ler tanta besteira de alguém que está tanto tempo no meio jornalístico…), então resolvi eu falar sobre o assunto.

Pra mim, existem algumas coisas que são fundamentais pra se entender:

1) Oscar rompeu o contrato com o SPFC porque quis. Assim sendo, se no contrato constava multa, o lado que rompe o contrato tem que pagar a multa. O SPFC investiu neste atleta. Cuidou dele quando era novo e é óbvio que por isso que existe a multa contratual.

2) O SPFC já ganhou em várias instâncias e a decisão judicial é clara: o atleta deve voltar ao SPFC. Não adianta ele ficar se comportando como menino mimado, não querendo voltar. Acorda rapaz! Seu tempo de rebeldia já passou. Agora a Justiça mandou você voltar. Simples assim.

3) O Internacional está fazendo um papel patético nesta história. Não só continua com o atleta, como agora pensa em entrar com uma ação contra o SPFC. Ora, prezado Internacional, se você quer mesmo o atleta, pergunte ao clube quanto o SPFC quer pelo atleta. Simples assim. O SPFC tem direito ao atleta. Não ache que você vai ganhar o atleta na Justiça ou oferencendo um valor de anos atrás.

4) Que este caso sirva de exemplo para outros atletas (diga-se moleque mimados), que enquanto o clube está investindo nele, está tudo lindo. Mas na primeira oportunidade, resolvem escutar empresários inescrupulosos e sair do clube à revelia. Casemiro tinha o mesmo empresário e resolveu não agir desta forma.

Hoje quem está melhor? Casemiro, titular no SPFC, ou Oscar, que nem pode jogar por nenhum clube? É pra se pensar…!

Acho que pessoalmente o que me irrita mais é a falta de comprometimento de atletas que assinam contratos e depois simplesmente rompem e pronto. A ganância de certos empresários (e a falta de personalidade de alguns atletas), que geram processos e mais processos e o clube, que investiu no atleta, fica a ver navios.

Ainda bem que está existindo justiça no caso do Oscar. Agora, se ele continuar a se comportar como o moleque mimado que foi até agora, escondido no Internacional, sinceramente, acho pouco provável que ele venha a disputar as Olimpíadas. E sinceramente, é no mínimo uma bela punição a quem só pensou em ganância ao invés de agir corretamente.

Thaís Cachuté Paradella.

Foto: Terra Esportes.