Nação Tricolor,

A pergunta do
título desta postagem se refere ao jogador Lucas, o camisa 7 do Tricolor. Me
digam, que autoridade do esporte ou imprensa gringa já classificou o moleque
como craque? Pelo amor de Deus, né?! Vamos devagar!

Lucas tem habilidade? Tem sim. Marca golaços? Também. Mas ele não é essencial
no São Paulo e peca muito pela falta de companheirismo – leia-se: exagero nos
dribles.

Leão, nosso
técnico, deu seu recado. Tudo bem que não foi de uma maneira muito “simpática”,
mas este é o jeito Leão de ser, todo mundo sabe. O técnico afirmou que Lucas
peca em seu individualismo e acaba driblando demais, esquecendo assim de servir
os companheiros. Insatisfeito com as críticas, o jogador se limitou a trocar
passes com os companheiros no jogo de ontem contra a Portuguesa. Ainda por
cima, durante o intervalo declarou para a imprensa: “Estou fazendo aquilo que me pediram, tocando a bola.”

Que
rapaizinho folgado! Ele entendeu muito bem o recado, mas quer é polemizar. É
claro que seus dribles são importantes para o time, mas suas jogadas não podem
se resumir a isso: cabeça abaixada e correndo em disparada como um boi nelore.
Muitas vezes, o próprio Lucas se enrola, afinal é super bem marcado e acaba
perdendo a bola, a jogada e a chance de servir um companheiro melhor
posicionado. O drible precisa ser objetivo, ter uma finalidade, seja o gol ou
servir outro jogador. Atualmente tem muita firula pra pouca rede balançando.

Leão
também reclamou das redes sociais, principalmente do twitter onde essa nova
geração de jogadores corre para “desabafar” seus problemas nos gramados. Lucas
usou seu perfil no twitter para reclamar, é claro, mostrando toda sua
imaturidade.

O
que eu quero dizer é que o nosso garoto precisa comer muito arroz com feijão
ainda pra ganhar status de alguma coisa. Precisa erguer a cabeça e visualizar o
jogo antes de sair correndo, desembestado pra frente. Precisa saber quantos
toques são necessários dar na bola para efetuar um drible e não ficar correndo,
passando o pé aqui e ali e se perdendo na própria jogada. O craque não é apenas
aquele que marca o gol, mas também aquele que constrói toda uma jogada com
inteligência.

Além
disso, o nosso Lucas tem que parar de babar ovo pra Seleção. Sei que o sonho de
qualquer jogador é servir a Seleção Brasileira, mas nessa equipe ele não passa
de um reserva que é usado quando o jogo já está nos acréscimos.
A impressão que eu tenho é que ele faz tanta questão de ser convocado só pra
curtir uma resenha com seu parça Neymar e passar as horas livres no vídeo game.

Outra impressão que tenho é que esse menino é muito mal assessorado. Quer
dizer, para comparecer em festas e eventos, ok! Até tietando o príncipe da
Inglaterra o garoto esteve, logo após a partida contra a Portuguesa. É evento
da Gillete, do Guaraná, de não sei mais o quê… Para isso ele tá sempre bom,
sorrindo e posando.

Acorda,
menino! Quem paga seu salário é o São Paulo, Luquinhas! Foi lá que você ganhou
notoriedade e espaço para mostrar seu futebol, portanto dê valor a isso! E mais
uma coisa, não precisa se comportar como um moleque birrento e mimado, sem
aceitar críticas de quem manja mais de futebol do que você. 

Individualismo é importante, mas não é essencial. Olhe para os lados e enxergue
a torcida pedindo encarecidamente para que você toque a bola. Você não é
craque, mas pode ser o maestro do Tricolor se tiver uma cabeça melhorzinha!
#Vamooooooooooooooo São Paulooooooooooooooo!!!!
Me sigam no twitter: @robertanina e @spfc1935

Créditos fotográficos: Adriano Vizoni/Folhapress e Twitter / reprodução