Foi então que o alarme soou. O que era pra ser um passeio se tornou em desastre, e o jogo, só de ida e de muitos gols se tornou um mísero 1×0. Foi um jogo sofrido contra o Independente-PA. E qual vai ser a desculpa da vez, o juiz, o gramado, a bola ou a posição da lua no mapa astral?
E parece que a desculpa escolhida será o cansaço. O ano mal começou, o time só jogou o Campeonato Paulista e estreou na Copa do Brasil essa semana, e as reclamações de “time desgastado” já começaram. É praticamente uma piada. O que será desse time quando o Campeonato Brasileiro começar? Se é que vai sobrar algum atleta em condições físicas para jogar.



(Foto: Sidney Sanches/VIPCOMM)

Leio e os sites de notícias e me deparou com a manchete. “Rhodolfo afirma que nem injeções evitam dores na maratona tricolor”. Poxa, mas já? Serão três partidas em 10 dias. A primeira contra a Portuguesa, depois novamente contra o Independente-PA e por fim o clássico com o Santos.

São três jogos em 10 dias e tem jogador com medo de não aguentar. Oras, na teoria eram para ser dois jogos em 10 dias, o que não é nada impossível. A culpa de ter um jogo a mais é de quem mesmo? Dos próprios atletas que agora reclamam que precisam partir para alternativas para poder aguentar a “maratona”.

Desculpe, eu aceitaria a palavra maratona se vocês estivessem jogando a Taça Libertadores da América. Reconheço que viajar pela América do Sul deve ser realmente desgastante. E os adversários e a pressão é bem maior do que um Paulistão ou Copa do Brasil, ou vão me dizer que ganhar a Libertadores é mais fácil?

Agora desgaste do que? Das derrotas e do mau futebol? Só pode ser. Qual o desgaste de jogar contra Portuguesa, Independente-PA e Santos se nem vai precisar sair do estado de São Paulo para isso. Todos os jogos são no Morumbi, quer mamata melhor do que essa? Impossível.
“São semanas com um jogo em cima do outro e estamos bastante cansados. Tomamos injeções para as dores que sentimos”, disse o zagueiro em entrevista. Como diz aquele velho ditado que quem não tem inteligência, precisa ter perna.

Desse jeito fica difícil pedir calma para a torcida. O time não vem jogando mal neste ano, muito menos nas últimas partidas. É mais complicado ainda pedir paciência quando se sabe da história desse clube e o desdém de como ele vem sendo tratado nos últimos anos.

É complicado demais não se revoltar com isso.