E a sexta-feira chegou, nação tricolor. Alguns estão de cabeça quente com o empate do São Paulo com o Guarani. E vejo muita gente nervosa por causa disso. Não que o resultado seja o melhor do mundo, porém dada as devidas proporções, ainda não é motivo de preocupação.
É claro que nenhum torcedor esperava pelo empate, mas também não precisam fazer uma tempestade num copo d’água por causa disso. Vejo muitos torcedores esbravejando, reclamando e até mesmo – pasmem – pedindo a cabeça do Leão.
Foto: Wagner Carmo/Vipcomm
Muita calma nessa hora, gente. Foi apenas um empate, contra um time fraco. Foi ruim? Claro que foi, mas não é o fim do mundo. Estamos em começo de temporada, e é normal que o time oscile um pouco ainda.
É melhor errar agora, acertar o time e ter alguns tropeços “menos importantes” do que vacilar em clássicos – ou jogos – decisivos. Aposto que nenhum torcedor vai reclamar se o time empatar com o fraco Guarani, para, depois, chegar as finais do Paulistão. Então, vamos ter calma que esse ano está apenas começando.
Até entendo a sede do torcedor por boas partidas e por títulos, já que esse time, nos últimos anos, não nos vem dando tantas glórias quanto gostaríamos. Mas também não adianta querer apressar as coisas. Tudo ao seu tempo. Se o time se apresentar apático mais para frente, ai sim é motivo para cornetar, mas agora não.
Outra questão: Nem o clube, muito menos o torcedor deveriam dar ibope para boatos e picuinhas de ida e vinda de jogador. Muito menos dar ibope para empresário de nenhum jogador.
O caso Nilmar já deu o que tinha que dar. Foi muita mídia para pouco empresário e um jogador omisso, que não sabe impor sua vontade. Se ele quisesse mesmo jogar no São Paulo, que viesse. Contrate outro empresário, sei lá, faça qualquer coisa. Agora a questão ali foi o “tal” do empresário querendo aparecer demais. É igual criança que tem que pedir autorização pra mãe pra pegar um copo de suco na própria casa. Não dá para viver a mercê de empresário.
E o clube e a mídia caíram direitinho na jogada. Ele conseguiu colocar o jogador na mídia brasileira e criar a maior confusão. Desculpe Nilmar, mas em recusar jogar no São Paulo, a única pessoa que vai perder será você.
Precisamos parar de dar atenção a qualquer empresário, a qualquer boato. Se o empresário está dificultando, simples, encerre as negociações. Não precisava de todo esse stress. Espero que esse episódio sirva de lição para os dirigentes e a torcida.