Por: Vivian Lourenço (@_vivis)

Foto: Terra

Confesso que tive um susto quando vi a escalação tricolor do jogo contra o Cruzeiro. Rivaldo finalmente sairia jogando. Cheguei a cogitar que Adilson Batista tivesse sido – até que fim – afastado do clube ou até mesmo demitido.

Rivaldo, dois volantes apenas, Luis Fabiano. O adversário era o Cruzeiro, em crise. Tínhamos tudo para fazer uma bela apresentação, finalmente. Mas o que aconteceu foi um verdadeiro show de horrores. Defesa simplesmente parou. Pane? O que aconteceu?

É claro que o jogo de quarta-feira serviu para mostrar que o time pode jogar (e bem) com essa formação. Aliás, Adilson deveria tentar pelo menos manter a mesma formação por alguns jogos, já que cada jogo ele inventa algo.

E quem assistiu ao jogo, viu que se não fosse pelas falhas, faltas desnecessárias e displicência de alguns jogadores, o jogo teria terminado com um placar diferente. Lá na frente o time jogou bem; o problema foi a defesa. Aliás, quem não tem vontade de vestir o manto tricolor, nem deveria figurar no bando de reservas. E o torcedor sabe muito bem quem são esses jogadores.

Aliás, é incrível: o São Paulo conserta um setor e desarruma outro. Fazia muito tempo que não via a defesa tendo uma pane tão medíocre do jeito que teve nesse jogo. Desatenção, falta de vontade, falhas, um dia infeliz?
Difícil saber o que aconteceu ou achar um culpado. Do meio de campo pra trás o São Paulo esteve irreconhecível; Rogério deve quase ter tido um infarto nesta quarta-feira. Agora o título – e quem sabe até a Libertadores ficam ameaçados.

Foto: Terra

O São Paulo PRECISA acordar! Adilson PRECISA ser mandado embora. Pra ser sincera nada me faria mais feliz do que ver Felipão pulando o muro. O time precisa desesperadamente de um técnico pulso firme, que bata de frente com os jogadores.

Em tempo: Como eu disse semana passada, Luis Fabiano não é nenhum salvador da pátria; muito pelo contrário, ele se mostra com muita vontade de agregar a esse time. Mas nenhum torcedor pode esperar que ele sozinho seja a solução de todos os problemas. Condená-lo por ter perdido pênalti é errado. Ele teve personalidade e atitude ao querer cobrar. Poderia ter sido feliz, mas não o foi. Bola pra frente que o mundo não acabou.

Vamos esperar que as coisas mudem para o São Paulo nas próximas rodadas.