Hoje vou relembrar de outro grande ídolo da nação tricolor. O nome dele é Waldir Perez Arruda, um dos maiores goleiros brasileiros de todos os tempos e que deixou sua marca na história do São Paulo.
Waldir Perez nasceu em 2 de janeiro de 1951, em Garça – SP. Iniciou sua carreira no futebol no Garça FC. Foi contratado pela Ponte Preta, mas brilhou mesmo no quando vestiu a camisa do maior do mundo. Iniciou sua trajetória no São Paulo em 1973 e deixou o clube em 1984. Em 1975, conquistou seu primeiro título com o tricolor, que foi o Campeonato Paulista desse ano, num jogo contra a Portuguesa. A final foi decidida nos pênaltis, e Waldir garantiu a vitória espalmando duas cobranças do adversário.
O segundo título conquistado por Waldir foi o Campeonato Brasileiro de 1977. O jogo da final foi contra o Atlético Mineiro, no Mineirão. A partida terminou 0x0 e para variar o título foi decidido nos pênaltis. Os jogadores do Atlético, Joãozinho Paulista, Toninho Cerezo e Márcio, não contavam com a frieza do nosso goleiro, que os deixou ainda mais nervosos e chutaram suas cobranças para fora, garantindo o título de Campeão Brasileiro de 1977 para o nosso triolor. Nessa época Waldir foi considerado um dos 3 melhores goleiros em atividade do Brasil. Conquistou ainda mais dois títulos paulistas para o São Paulo, em 1980 e 1981.
Também teve seu nome registrado na história da Seleção Brasileira, sendo o goleiro com menor média de gols sofridos entre os que atuaram em Copas do Mundo. Sua primeira partida pela seleção aconteceu em 4 de outubro de 1975 na vitória de 2×0 sobre o Peru, nas semifinais da Copa América de 1975. Teve passagens pela seleção ainda em 1978, 1981 e 1982. Manteve sua posição de goleiro titular em 1982, integrando a seleção que foi considerada uma das melhores de todos os tempos. Em sua estreia, Waldir levou um “frango” no jogo contra a União Soviética, mas mesmo assim manteve-se como titular. A seleção foi eliminada pela Itália por um placar de 3×2, sendo a única partida oficial pela seleção em que Waldir tomou mais de um gol. Esse também foi seu último jogo vestindo a camisa do Brasil.
Ao sair do São Paulo passou ainda pelos times América-RJ, Guarani e pelo nosso rival Corinthians. Encerrou sua carreira em 1989 na Ponte Preta. Tentou a carreira de treinador, mas não obteve muito sucesso, e em 2006 foi dirigir as categorias de base do Vitória(ES). Disputou pelo tricolor, 597 partidas, sofrendo 514 gols.
Isabelle Guerini – Torcedora apaixonada
Fonte: