Saudações São Paulinas.
Hoje em minha coluna, presto mais uma homenagem a um grande ídolo da história do nosso glorioso São Paulo. Seu nome é Pedro Virgílio Rocha Franchetti, ou simplesmente Pedro Rocha.
“EL Verdugo” era seu apelido, porque matava os adversários com sua habilidade, tinha um chute fortíssimo, cabeçadas arrasadoras e uma ampla visão de jogo. Pedro Rocha chegou do Peñarol com um currículo invejável, com vários títulos na bagagem.
Desde 1969, o São Paulo queria adquirir seu passe. Mas foi em agosto de 1970 que o uruguaio Pedro Rocha teve seu passe adquirido por 150 mil dólares do Peñarol pelo São Paulo.
Pedro Rocha chegou ao São Paulo como um jogador consagrado. Defendeu a Seleção Uruguaia e já havia disputado as Copas do Mundo de 1962, 1966 e 1970. Além disso, conquistou dois Mundiais Interclubes em 1961 e 1966, três Libertadores da América em 1960, 1961 e 1966 e sete Campeonatos Uruguaios defendendo o Peñarol. Pela FIFA foi considerado o melhor jogador uruguaio da década de 60.
Chegando ao São Paulo teve dificuldades para se adaptar ao esquema tático de Zezé Moreira. E, além disso, o São Paulo já tinha outros jogadores que ocupavam a mesma posição, e Pedro Rocha precisou adaptar-se em outra posição, demorando um pouco para “se sentir em casa”.
Com a venda de Gérson para o Fluminense, Pedro pode atuar em sua posição de origem, herdando assim a camisa e a partir desse momento passou a ser um dos melhores jogadores que atuavam no futebol brasileiro nos anos 70.
Pedro Rocha foi artilheiro do Campeonato Brasileiro de 1972, com 17 gols, junto com Dario do Atlético Mineiro. Tornando-se assim o primeiro jogador estrangeiro a entrar para o rol de artilheiros do Campeonato Brasileiro.
Em 1973 recebeu o prêmio Bola de Prata pela Revista Placar. Em 1975, Pedro Rocha foi Campeão Paulista comandando o meio campo do time. Foi considerado o principal jogador do São Paulo até o ano de 1977. Com a chegada do técnico Rubens Minelli, foi emprestado para o time do Curitiba. Onde foi mais uma vez campeão.
Ao encerrar sua brilhante carreira como jogador tornou-se treinador de futebol. Passou por vários times do Interior Paulista e pelo Japão.
Pelé não escondia sua admiração por Pedro Rocha e dizia que ele era um dos cinco maiores jogadores do mundo em sua posição.
“Em matéria publicada ao jornal ‘O Estado de São Paulo’ no dia 19 de março de 2009, Pedro Rocha afirmou que sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral). “EL Verdugo” entrou em forte depressão e disse que perdeu a alegria de viver e os únicos momentos de alegria são ao lado dos amigos Terto e Muricy Ramalho. Segundo a matéria, o tratamento do AVC é caro e que o uruguaio não ganhou tanto dinheiro com o futebol e recebe ajuda de amigos, ex-colegas e familiares para custear o tratamento médico.”


Como são paulina mais uma vez fico emocionada com a história desse grande personagem chamado Pedro Rocha. Sem dúvida nenhuma foi um dos grandes craques que vestiu a camisa do nosso São Paulo.
Obrigada Pedro Rocha. Pelo amor e pela dedicação ao nosso São Paulo Futebol Clube.
Nome: Pedro Virgílio Rocha Franchetti.
Data de Nascimento: 03/12/1942.
Cidade Natal: Salto – Uruguai.
Posição: Meio campo.
Jogos Disputados com a camisa do SPFC: 393.
Data de Entrada no Clube: 1970.
Data de Saída: 1978.
Gols Marcados pelo SPFC: 109.
Títulos Conquistados pelo SPFC: Campeonato Paulista (1971 e 1975) e Campeonato Brasileiro (1977).
Kelly Elias – 29 anos, Publicitária, Apaixonada pelo SPFC e Amante de Futebol.
@KellyElias29
Fonte de pesquisa, Imagens e Vídeo:

Almanaque do São Paulo – Alexandre da Costa.