Temos muitos ídolos em nosso tricolor, mas tem um nome que é unanimidade na boca dos torcedores até hoje. Vocês sabem de quem estou falando? Acertou quem pensou em Telê Santana.
Telê Santana da Silva nasceu em 26 de julho de 1931, em Itabirito, MG. Iniciou sua carreira como jogador sendo goleiro, mas acabou se destacando como ponta direita. Sua carreira começou a deslanchar na década de 50, quando atuou no Fluminense, sendo o terceiro jogador que mais vestiu a camisa do clube carioca. Ele também teve passagem por outros clubes, como Guarani, Vasco e Madureira. Quando jogador recebeu o apelido de “Fio de Esperança” por seu otimismo mesmo em situações complicadas. Encerrou sua carreira de jogador e iniciou uma nova etapa em sua vida sendo treinador, começando a carreira no Fluminense em 1967.
Telê comandou a seleção brasileira em 1982 e 1986, ficou conhecido como “pé-frio”, por ter sido derrotado essas duas vezes, com seleções que eram consideradas as favoritas para levantar a taça pelo Brasil.A grande virada na carreira de técnico ocorreu no início da sua trajetória no tricolor paulista em 1990, quando conseguiu fazer nosso clube chegar na final do Brasileiro contra o Corinthians naquele ano, depois de tirá-lo do fundo do poço. Mesmo tendo perdido esse jogo, Telê conquistou a torcida.
Nossa vingança veio em 1991 na final do campeonato paulista, quando nosso mestre derrotou o mesmo adversário com o placar de 3×0, com direito a três gols de outro ídolo, Raí. Neste mesmo ano conquistou nosso terceiro título brasileiro sobre o Bragantino. Embalado por este título ninguém imaginava o que ainda estava por vir.
Nosso tricolor de Telê começou a libertadores em 1992, quietinho, mas durante a competição foi evoluindo até chegar na final contra o Newell’s Old Boys, com direito a conquista do título no Morumbi nos pênaltis. Em Tóquio nosso clube partiu rumo a vitória sobre o Barcelona, tornando-se o melhor time do mundo. Nesse mesmo ano, atropelamos o porco na final do campeonato paulista.
Em 1993, mais uma vez conquistamos a libertadores, desta vez contra o Universidad Católica. Chegamos em Tóquio para defender nosso título com uma grande baixa, a saída de Raí. Em uma partida eletrizante contra o Milan, nosso tricolor conquistou o segundo título mundial consecutivo, com gols de Palhinha, Cerezo e Muller.
Nosso mestre Telê Santana é e será sempre lembrado pela nosso torcida, não somente pelos títulos conquistados. O mestre conhecia futebol como ninguém, seus times eram competitivos, objetivos e jogavam o futebol que todos gostam de ver. Telê Santana sempre será respeitado pelo torcedor são paulino, pelos adversários e por qualquer admirador do futebol arte.
Telê Santana deixou saudades em 21 de abril de 2006 em Belo Horizonte, no mesmo dia da morte de Tiradentes, Tancredo Neves, e curiosamente no dia em que nasceu essa são paulina que vos escreve.
Isabelle Guerini – Torcedora apaixonada
@iguerini
Fonte:
http://www.duplipensar.net/artigos/2006-Q2/tele-santana-biografia-21-de-abril.html
http://www.spfc.net/wiki/index.php?title=Tel%C3%AA_Santana#Sele.C3.A7.C3.A3o_Brasileira
http://www.saopaulofc.net/v4/1novo2.asp?PLC_map_001_c=03.04.03