Saudações São PaulinasHoje, a pedidos, irei contar um pouco da história de um atleta brilhante que fez parte do nosso amado São Paulo. Poucos sabem mais em 2010 Èder Jofre completou 50 anos da maior conquista para o boxe brasileiro. E muitos desconhecem que ele lutava sob as cores do nosso São Paulo Futebol Clube.Era 18 de Novembro de 1960, em Los Angeles nos Estados Unidos, entre as cordas do ringue do Olimpic Auditorium um são-paulino bravamente lutava para ficar em pé. Èder Jofre começava ali uma história brilhante.O combate que ocorria era transmitido para todo o Brasil pelo rádio, era uma luta eliminatória para a disputa do cinturão mundial da categoria do peso galo (até 53, 524 kg) da Associação Mundial de Boxe. Seu adversário, o oitavo do ranking daquela associação, era o mexicano Joe Medel.Nascido em 26 de Março de 1936, em São Paulo, de família de boxeadores Éder Jofre conheceu e passou a admirar o boxe através de seu pai, o argentino Aristides Pratt Jofre, conhecido como: “Kid Jofre”. Ele que na época era técnico de boxe do São Paulo, fez o primeiro contato com o clube para fazer de seu filho um atleta. Ainda criança Éder Jofre fez suas primeiras apresentações de boxe com o distintivo do São Paulo no calção. E foi no São Paulo, seu clube de coração, que ele começou sua promissora carreira de pugilista tendo seu pai como treinador.Como atleta são-paulino, ele disputou sua primeira competição, o Campeonato do Sesi e participou de inúmeros Torneios de Novos e Novíssimos. Também pelo São Paulo ganhou os primeiros campeonatos paulistas e brasileiros que disputou. Junto com outro atleta são-paulino, Adhemar Ferreira da Silva, foi representar o Brasil nas Olimpíadas de 1956, em Melbourne na Austrália, ainda como amador. Chegou aos jogos como favorito.Èder Jofre começou sua carreira profissional em 1957. Em 1958 se tornou campeão na categoria peso galo. No ano de 1960, conquistou o título sul-americano dos galos. E assim, começou a colocar seu nome na história do boxe brasileiro e mundial. Defendeu o título por sete vezes, vencendo todas as lutas por nocaute, até que um dia perdeu a luta por pontos para o japonês Masahiko Harada, em 1965. Em 1969 voltou a lutar como peso-pena e tornou-se campeão mundial em 1973, ao derrotar por pontos o cubano naturalizado espanhol, José Legra.Em 1974, Éder Jofre abandona o boxe por problemas entre seus empresários, que acabaram provocando a cassação de um dos seus títulos. Mas ainda assim, parou como um grande campeão.Poucos atletas encerraram a carreira no seu auge e ainda campeão como ele. É uma vitória para poucos. Mas o “Galo de Ouro” Éder Jofre também conseguiu realizar essa façanha. Após 18 anos dedicados ao boxe, com uma carreira profissional de 14 anos, somando 78 lutas, 50 vitórias por nocaute, 22 por pontos, quatro empates e apenas duas derrotas por pontos, Éder fez sua última luta no dia 08 de outubro de 1976. Cansado da rotina de treinos, com 37 anos, havia sido campeão mundial dos galos e detentor do título do peso pena, sentiu que era momento de pendurar as luvas. E foi como campeão do mundo dessa categoria que ele decidiu encerrar o capítulo mais bonito e lembrado da história do boxe brasileiro. Obrigada Èder Jofre, pelos títulos conquistados, pelo caráter digno de esportista emérito, por muitas vezes ter elevado ao degrau mais alto do pódio o nome do nosso amado São Paulo Futebol Clube e do esporte brasileiro. Você merece figurar entre os momentos de glória do nosso esporte.
Beijos e Uma ótima quinta-feira para todos.
Kelly Elias, 29 anos, Publicitária, Apaixonada pelo SPFC e Amante de Futebol.Twitter: @KellyElias29