Saudações tricolores!

Após vencermos um dos lanternas (Atlético-GO) no Morumbi durante a semana, o desafio do tricolor agora é o Atlético-MG de Vanderley Luxemburgo, em MG.

O tricolor deve ter alterações em sua escalação, pois Fernandão está recuperado e deve formar a dupla de ataque com Dagoberto. Na zaga, Xandão está suspenso e Miranda deve ter a companhia de Samuel.


Fernandão deve compor o ataque do SPFC com Dagoberto hoje

Os times, que já decidiram um Campeonato Brasileiro, vencido pelo SPFC, hoje enfrentam fases muito ruins. O Atlético-MG tem um bom elenco, um bom técnico, mas não deu liga! Não são raras as notícias sobre brigas no elenco e o alto salário pago a seus atletas e principalmente para o seu técnico Vanderley Luxemburgo não justifica o desempenho do time, sempre presente na zona de rebaixamento.

Já o nosso tricolor…Ah…Este foi o ano que eu descreveria como ‘Zorra Total’ no SPFC. Começamos o ano com um técnico que deveria ter sido demitido no ano anterior (ou alguém aqui tinha absoluta certeza que Ricardo Gomes iria ser campeão da Libertadores?), ou na melhor das hipóteses, que nunca deveria ter sido contratado. Aí não vencemos nenhum clássico no Paulista (animador hein?), fizemos dois bons jogos na Libertadores (os dois jogos contra o Cruzeiro) e só! Os demais jogos foram todos duríssimos de assistir! Aí, quando pegamos o Internacional, apresentamos um futebol vergonhoso em Porto Alegre e não conseguimos reverter o placar no Morumbi. Tchau Libertadores!

Então a diretoria, que já pensava em demitir Ricardo Gomes (que já deveria ter sido demitido ou nunca deveria ter sido contratado), demite-o sem ter nenhum técnico em vista! Foi um vulgo: ‘vamos demitir o cara aí, daí depois a gente vê quem a gente põe!’. Não veio nenhum técnico! Solução? ‘Pega o técnico da base aí!’. Baresi assume o time principal. Planejamento? Nenhum. Inexistente. A diretoria agiu como inúmeros outros times sem planejamento nenhum que existem no futebol brasileiro.

No último jogo, Rogério Ceni foi mais técnico que o próprio técnico. Chamou Cléber Santana, pediu que este falasse com o técnico pra ele entrar no jogo. ‘Ah, mas não tem nada de errado nisso…Afinal ele é o Rogério!’. Não questiono a atitude do Rogério, mas pra que tem-se um técnico se quem decide a hora de mexer no time não é o técnico? Conclusão óbvia: o técnico é fraco e não temos técnico!

E pra terminar, inúmeras declarações estapafúrdias na imprensa, vindas de diretores do SPFC (eu não sei quanto a vocês, mas toda vez que escuto que o dirigente Leco irá dar uma declaração, já me dá um frio na espinha…!), com frases desnecessárias… E um dos jogadores do SPFC não se comportando bem por ter ido pra reserva (sim, Dagoberto, é de você que estou falando! A sua atitude de jogar o agasalho no chão quando percebeu que não iria entrar pra jogar além de ser desnecessária foi desrespeitosa!), mas também confesso não entendi porque o Dagoberto não começou jogando o último jogo! Punir um atleta com multa salarial ou até dar um chá de banco quando ele não está em uma boa fase, entendo. Agora, deixar um atleta mofando no banco quando não tem ninguém na posição dele pra jogar, e ele está dentro de suas condições físicas ideais, aí já considero burrice!


Dagoberto comemora o gol contra o Atlético-GO indo ao símbolo do SPFC

E mesmo para aqueles que não gostam do Dagoberto: ganhamos do Atlético-GO graças a ele. ‘Nossa, mas isso não é nada!’. Na atual fase do SPFC, qualquer vitória já é muita coisa!!

Thaís Cachuté Paradella, 30 anos, é cirurgiã-dentista em São José dos Campos e sócia-torcedora do SPFC.

Crédito das Fotos: Vipcomm