Saudações tricolores!

Já na semifinal da Libertadores, o tricolor entra em campo hoje à tarde para enfrentar no Beira-Rio o mesmo Internacional que disputará com o SPFC a tão sonhada vaga para a final da Libertadores.

Olhando as notícias do dia, é possível perceber que tanto Inter quanto SPFC escalarão seus times titulares, uma vez que ambos não foram tão bem assim nas primeiras rodadas do Brasileirão.

O SPFC está escalado e definido, sendo o mesmo time que bateu o Cruzeiro no Morumbi, indo a campo com RC, Alex Silva, Miranda e Richarlyson; Cicinho, Rodrigo Souto, Hernanes, Marlos e Junior Cesar; Fernandão e Dagoberto.

Já o Inter deve ir para o jogo apenas com algumas dúvidas, sendo o time provável Abbondanzieri, Nei (Glaydson), Bolívar, Sorondo e Kleber; Sandro, Guiñazu, Andrezinho e D’Alessandro; Walter (Taison) e Alecsandro.

E aí a pergunta fica: será que hoje dá pra começar a revanche de 2006, quando o tricolor perdeu a final da Libertadores para o Inter?

Bem, antes de responder a esta pergunta, vamos analisar a coisa da seguinte forma: é óbvio que a motivação não é a mesma. Disputar um jogo pelo Campeonato Brasileiro e disputar uma semifinal de Libertadores é diferente. O clima é diferente, o estádio geralmente está mais cheio na Libertadores e, acredito eu, que os jogadores também encarem o jogo de modo diferente.

Há um lado bom e um lado ruim em enfrentar o mesmo adversário hoje que enfrentaremos depois. O lado bom é que já se pode ver quais são as vantagens e desvantagens do adversário. O lado ruim é que uma vitória pode dar uma falsa sensação de segurança, o mesmo que aconteceu com o Cruzeiro ano passado.

Pra quem não se lembra, em 2009 o SPFC enfrentou o Cruzeiro pelo Brasileirão antes de enfrentá-lo pela Libertadores. No Brasileirão, no Morumbi, ganhamos por 3×0. Já na Libertadores, o resultado tanto no Morumbi quanto no Mineirão não foi tão animador.

Uma derrota pode também desanimar o grupo, como pode motivá-lo. Se o SPFC souber analisar suas falhas e não repetir os mesmo erros, a partida da Libertadores poderá ser bem diferente, com um placar mais favorável ao time do Morumbi.

Assim sendo, a revanche de 2006 pode SIM começar hoje, se o tricolor souber que o jogo de hoje é importante para o Brasileirão, mas também muito importante para a Libertadores, em questão de estudar o adversário e suas falhas e pontos positivos.

Uma vitória hoje só não pode deixar o elenco achando que o jogo será fácil. Aliás, a grande vantagem do SPFC hoje (e isto foi o que, na minha opinião fez com que o time ganhasse muito bem do Cruzeiro tanto no Mineirão quanto no Morumbi, fazendo as duas melhores partidas do time no ano), é saber que somos um time que podemos sim vencer, que não deve ser subestimado, mas não dá pra entrar achando que já vencemos o jogo.

E você? Acha que o jogo de hoje já é o início da revanche de 2006 ou apenas mais um jogo do Brasileirão que nada deverá influenciar no duelo da Libertadores?

Thaís Cachuté Paradella, 30 anos, cirurgiã-dentista em São José dos Campos, são-paulina fanática, sócia-torcedora do SPFC e crítica hoje e sempre!

Em tempo: Como me orgulhei de ver o tricolor quarta-feira contra o Cruzeiro! O SPFC mostrou no campo porque deve sempre ser respeitado! Jogou como nunca contra o time de MG e desta vez, derrubamos o primeiro tabu de ‘sermos eliminados por times brasileiros na Libertadores’. Parabéns ao tricolor! Sem dúvida, foi a melhor partida do ano do SPFC.