Saudações tricolores!

Hoje o tricolor pega o Corinthians no estádio do Pacaembu, partida válida pelo Paulista. E como todo torcedor são-paulino crítico, eu também não gostei da apresentação do time na última quinta-feira diante do Bragantino. A derrota para o time de Bragança trouxe outro problema: a necessidade de vitória diante do Corinthians neste domingo.

E agora tricolor? Se a Libertadores é prioridade, o ideal seria entrar com o time reserva contra o Corinthians, deixar os titulares treinando/descansando no CT até a viagem para o México. Afinal, vencer o Monterrey fora de casa é fundamental para se consolidar a liderança do grupo e quanto maior o número de pontos, maior a possibilidade de se decidir as partidas do mata-mata no Morumbi.

E agora tricolor? Só que a torcida (e aí, entenda-se também a diretoria tricolor) não aguenta mais o fato de não termos ganhado um único clássico até agora. Foram derrotas diante da Portuguesa, Santos e Palmeiras. Além disso, o Corinthians está entalado desde as semi-finais do Paulista do ano passado e o tricolor não vence o time do Parque São Jorge desde 2007. Isso fora o relacionamento ruim que existe entre o presidente tricolor Juvenal Juvêncio e o presidente do Corinthians, André Sanchez.

E agora tricolor? Como priorizar a Libertadores, colocando o time titular contra o Corinthians hoje em campo? Mas, por outro lado, como deixar de lado um clássico, uma vez que o time não vem de vitória, não ganhou nenhum clássico neste ano e, após a derrota para o Bragantino, os 3 pontos contra o Corinthians se tornaram fundamentais para a consolidação de uma vaga nas semi-finais do Paulista.

E agora tricolor? A apresentação do time quinta-feira evidenciou alguns problemas que nós torcedores já cansamos de ver. Apatia, falta de vontade, escalação errada, substituições erradas…Isso fora o discurso de sempre de que ‘o time está evoluindo’… Evoluindo? Acho que meu conceito de evolução é um pouco diferente então…!

E agora tricolor? O que fazer? Põe os titulares e arrisca machucar alguém e aí comprometer o desempenho do SPFC na Libertadores? Ou põe os reservas e abre margem para mais um clássico perdido? Ou pior…Põe os titulares, estes ‘pegam leve’ porque tem jogo da Libertadores na sequência e aí o time apresenta-se de forma apática e perde também mais um clássico?

É…São várias perguntas…E sinceramente, não há resposta correta ou errada. Só vamos saber se a resposta escolhida é correta ou não mediante os resultados hoje contra o Corinthians e na sequencia, contra o Monterrey no México.

Não precisaríamos estar neste ponto. Não precisaríamos estar com todas estas dúvidas. Se realmente as escolhas tivessem sido diferentes no início do ano (algumas escolhas erradas e já apontadas por mim em colunas anteriores), a situação do time certamente seria outra.

Mas, como não há alternativa à realidade, tomara que a escolha certa seja feita, seja ela qual for!

Thaís Cachuté Paradella, 29 anos — hoje comemorando 30 anos — cirurgiã-dentista e são-paulina roxa e crítica!