Saudações São Paulinas

O Campeonato Paulista começou no último sábado e eu marquei minha presença no Morumbi no jogo contra a Lusa no dia 17 de janeiro.

E como eu estava com saudades do Morumbi…

Pela primeira vez fui ao Cícero Pompeu de Toledo sozinha e só assim a gente é capaz de reparar nos detalhes que fazem de uma partida de futebol um verdadeiro espetáculo!

Em que outra ocasião você puxaria assunto com alguém no ponto de ônibus? – Só tendo mais de 70 anos ou se seu companheiro de papo também está aflito pra chegar ao estádio.

Como é de hábito, esperei encontrar algum amigo desavisado na frente do caixa eletrônico do Bradesco, tomando uma cerveja, vendo as organizadas passarem, o rapa ameaçar os vendedores e acabei sentindo falta da tiazinha de gorro rosa, que vende o churrasquinho mais cheiroso que já vi (ops… senti).

Nunca vi uma entrada tão bem organizada! Tive até pique para dar boa tarde pra policial da revista e a moça da bilheteria ainda pediu minha carteirinha de estudante.

Durante o jogo vi que a torcida da Portuguesa briga entre si, leva borrachada à toa e penso: que idiotas! Um domingo tão lindo e os leões da fabulosa levando um cacete.

Pena que em campo quem levou um cacete foi o São Paulo, mas é início de temporada, muitos ajustes precisam ser feitos, caras novas entrarão e nosso Tricolor nos dará motivos de orgulho neste ano.

E eu, sempre que possível, estarei lá no Morumbi, para as minhas adoradas sessões de terapia. Porque, para quem não sabe, torcer é a melhor terapia do mundo: você extravasa suas emoções, grita palavrões que a vida em sociedade não lhe permite, chora, ri e sem gastar muito por isso.